PUBLICIDADE

Em sessão solene, Câmara de Corumbá celebra conquistas das mulheres pantaneiras

Da Redação em 09 de Março de 2019

Divulgação/Câmara de Corumbá

Sessão lotou o plenário da Câmara de Corumbá

Uma noite especial dedicada às mulheres pantaneiras. Foi o que a Câmara Municipal proporcionou na, sexta-feira, 08 de março, para celebrar o Dia Internacional da Mulher. Mais do que lembrar a data, a Sessão Solene celebrou também as conquistas políticas e sociais da população feminina, bem como os avanços na região de Corumbá nos últimos anos.

O ato aconteceu no plenário da Casa do Barão de Vila Maria e contou com um grande público. A iniciativa da Sessão Solene em homenagem ao Dia da Mulher foi de autoria do vereador e presidente do Poder Legislativo, Roberto Façanha, e teve apoio de todos os demais vereadores da Casa de Leis.

Um dos avanços na região foi lembrado pelo próprio Façanha em seu discurso alusivo à data. Trata-se da Lei Municipal 1.765, de 08 de março de 2017, assinada pelo prefeito falecido Ruiter Cunha, que instituiu a Rede Municipal de Proteção e Enfrentamento à Violência, que culminou com a criação da Patrulha Maria da Penha, lançada em janeiro do ano passado pelo prefeito Marcelo Iunes.

A Patrulha Maria da Penha é um organismo criado para acompanhar e atender mulheres em situação de vulnerabilidade, vítimas de violência doméstica e familiar, além de fiscalizar o cumprimento das medidas protetivas de urgência. As ações estão a cargo Guarda Municipal em parceria com a Secretaria Especial de Cidadania e Direitos Humanos.

Façanha lembrou a formatura recente de 40 agentes que estão aptos para participar das ações em defesa da mulher. “Foi um avanço. Prova disso é que a Prefeitura, recentemente, recebeu o Selo Social ‘Prefeitura Amiga da Mulher’, concedido pelo Governo do Estado, como forma de premiar novas políticas públicas desenvolvidas pelos municípios no combate e enfrentamento à violência contra a mulher e incentivo ao empreendedorismo feminino”, observou, elogiando o trabalho do prefeito Marcelo Iunes; da primeira-dama do Município, secretária especial de Cidadania e Direitos Humanos, Amanda Cristiane Balancieri Iunes, com toda a sua equipe, e da Guarda Municipal.

Mulher nas Forças Armadas

Foi mais além ao se referir às tenentes Grazielly Rodrigues de Amorim e Ana Carolina Blonkowski, que representaram os comandos do 6º Distrito Naval da Marinha do Brasil e da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, numa clara demonstração de que as mulheres venceram barreiras e hoje, ocupam seus espaços nas Forças Armadas.

Também destacou a presença da Promotora de Justiça Ana Rachel Borges de Figueiredo Nina, pelo trabalho que vem desenvolvendo na região, especialmente em relação às barragens das mineradoras, como também sobre o desastre ambiental no Rio Taquari.

Outra citação foi relacionada à deputada Federal Bia Cavassa. Para Façanha, a eleição em 2018, foi uma outra barreira ultrapassada na região. “Após longos anos, temos representação em Brasília, e feminina, que vai nos representar muito bem lá, ajudando o desenvolvimento da nossa região”, acentuou, não se esquecendo de outra conquista, dessa vez proporcionada por uma pessoa do sexo masculino, ex-vereador, que também faz parte da reconquista da representatividade política corumbaense, o deputado estadual e ex-vereador Evander Vendramini.

Reconhecimento

O 08 de março, segundo o presidente do Legislativo, é especial, “apesar de sua origem ter sido marcada pelo grito da mulher, por justiça e igualdade”, mas que a sessão representou a oportunidade da Câmara externar o “reconhecimento da importância das mulheres que estão superando o preconceito da sociedade masculina, implementando ao longo dos anos, graças à capacidade de pensar, refletir, projetar e contribuir para transformações dos valores sociais, quebrando as barreiras que as impediam de manifestar suas potencialidades, dando o grito de independência. Independência do preconceito familiar, religioso e social, para tornarem-se hoje, mulheres livres, independentes, participativas e solidárias”.

No entanto, o presidente ressaltou que ainda existem barreiras a serem vencidas. Uma delas é a representatividade feminina na sociedade pela sua incorporação no cenário político. Bia Cavassa é uma das 77 deputadas federais eleitas em 2018, o que representa apenas 15% do total de vagas, o mesmo percentual no Senado Federal que hoje conta com 12 mulheres.

E foi além ao afirmar que, hoje, a Câmara não conta com nenhuma representante do sexo feminino, apesar de, nas campanhas eleitorais, 30% das vagas serem reservadas às mulheres. Lembrou Terezinha Baruki que, inclusive, foi presidente do Poder Legislativo; Solange Alves de Oliveira, Lourdes Esnarriaga, Maria Maria, Rosinha do Sindicato e Cristina Lanza, que já ocuparam espaços no Legislativo corumbaense. Lanza, inclusive, recebeu uma homenagem em nome de todas as vereadoras que passaram pela casa.

“Sentimos a falta da sensibilidade das mulheres aqui na Câmara”, frisou, acentuando que, mesmo sem esse reforço da mulher pantaneira, os vereadores atuais continuarão sendo parceiros da sociedade, lutando por mudanças e sempre à disposição para que possamos trabalhar mais por dias melhores”. As informações são da assessoria de imprensa da Câmara de Corumbá.

PUBLICIDADE