PUBLICIDADE

Procon quer que Aneel acompanhe reclamações sobre contas de energia

Campo Grande News em 13 de Fevereiro de 2019

Diante de pelo menos 3 mil reclamações de contas de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, o Procon estadual oficiou a Aneel (Agência de Regulação de Energia Elétrica) para que envie técnicos ao Estado para analisar as demandas dos consumidores.

João Garrigó/ALMS

À esquerda, diretor da Energisa Marcelo Vinhais, deputados Pedro Kemp, Marçal Filho, Paulo Corrêa, Herculano Borges e Marcelo Salomão, superintendente do Procon, Marcelo Salomão

Nesta quarta-feira (13), os deputados estaduais ouviram a Energisa, concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica no Estado, em reunião na Assembleia Legislativa de MS. Os diretores explicaram que as contas altas foram provocadas por um aumento de consumo, gerado pela alta temperatura, especialmente nos dois primeiros meses de 2019.

Segundo o superintendente do Procon, Marcelo Salomão, que participou do evento hoje, a intenção é que os parlamentares “façam coro” e também peçam à Aneel que venha ao Estado verificar a situação. “Porque é o órgão competente para nos dar apoio técnico e nos ajudar a entender as demandas sobre cobranças abusivas. Não estamos pedindo a intervenção da agência, mas o apoio da agência para que ela ajude, caso haja irregularidade”.

Das quase 3 mil reclamações, 1.850 são em Campo Grande. “São reclamações baseadas no mesmo quesito. Isso faz com que a gente se preocupe, não é possível humanamente que 1.850 pessoas estejam mentindo”.

O presidente da Energisa, Marcelo Vinhais, que participou também da reunião, afirmou que o aumento em MS não foi isolado. Outros estados do Centro-Oeste, Sudeste e Sul também apresentaram contas acima do normal. Esclareceu, ainda, que a tarifa é a mesma desde abril de 2018.

A direção também atribuiu a elevação à variação da alíquota de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviços). Ainda sobre o aumento de consumo, a Energisa afirma que a carga de energia adquirida a mais, para atender o consumidor que elevou o consumo, daria para atender cidades como Corumbá, Ladário e Bonito.

Gráfico apresentado aos parlamentares aponta que o consumo médio residencial em MS é 180 kWh (medida da energia elétrica consumida) e que, em dezembro de 2018, foi usada “energia adicional” para atender o aumento do consumo. Tal elevação daria para atender cidades como Corumbá, Dourados e Ponta Porã ou mais 400 mil habitantes. 

Parcelamento

A Energisa segue com possibilidade de dividir as contas de energia que vieram muito acima (quase 100%) do que costumava vir. O consumidor precisa procurar um posto de atendimento e apresentar documentos, além das faturas atual e passada.

PUBLICIDADE