PUBLICIDADE

Casal que celebraria “bodas de papel” em Corumbá é preso com receptador de carro clonado

Leonardo Cabral em 05 de Fevereiro de 2019

Divulgação/ PRF

Carro foi levado para à Delegacia da PF em Corumbá

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na noite de segunda-feira, 04 de fevereiro, um casal em Miranda e um homem de 38 anos, em Corumbá. Eles são acusados de tentar trazer o veículo, Honda HR-V, ano 2018, placas do Rio de Janeiro/RJ, para a Bolívia. O carro é avaliado em quase R$ 100 mil no mercado nacional.

A apreensão do veículo foi na BR-262, Km 602, no posto da PRF em Miranda. Questionado sobre o motivo da viagem, o casal - homem de 33 anos e mulher de 24 - disse aos policiais que estava vindo para Corumbá, para celebrar “bodas de papel”. Porém, diante do nervosismo apresentado pelos ocupantes e das informações contraditórias, a equipe confirmou que ambos não são casados e estavam apenas tentando enganar a fiscalização.

Foram então realizadas checagens nos sistemas de informações e vistoria minuciosa nos sinais de identificação veicular. Os policiais constataram que o veículo era clonado e que o original é um carro roubado na capital carioca em novembro do ano passado. O documento do Honda apresentado também tinha indícios de falsificação.

Divulgação / PRF

Casal foi levado para a Delegacia da PF em Corumbá

Já em Corumbá, dando continuidade às investigações, a equipe da PRF descobriu que havia uma pessoa responsável por receber o automóvel roubado e atravessar para a Bolívia, sendo que o receptador estaria esperando pelo carro em uma lanchonete no perímetro urbano da cidade.

Os policiais realizaram o acompanhamento do veículo até o local combinado, conseguindo identificar e realizar a prisão do receptador, um homem de 38 anos, que havia sido preso recentemente pela PRF conduzindo outro veículo roubado para a Bolívia.

Todos os envolvidos e o Honda recuperado foram levados à Delegacia de Polícia Federal de Corumbá. O trio responderá pelos crimes de uso de documento falso, receptação e associação criminosa.

PUBLICIDADE