PUBLICIDADE

Candidatos relatam erros em prova de concurso para professores

Campo Grande News em 17 de Dezembro de 2018

Candidatos da prova de concurso para professores da rede estadual aplicada no domingo (17) relatam a existência de erros. Sob a condição de anonimato, os concorrentes alegam várias situações incomuns, como a dificuldade em enxergar a tabela periódica, falta de formatação e de parágrafos nos textos.

Direto das Ruas/CG News

Texto apresenta parágrafo único, mas questões falam sobre outros parágrafos

Um dos candidatos afirmou que em 15 questões se fazia necessário o uso da tabela periódica, porém, segundo ele, a tabela não estava legível, dificultando na execução da prova. “Questões de cálculo envolvem saber o número atômico do componente químico, mas não dá para enxergar a tabela. Ou seja, 15 questões não eram possíveis fazer. Estão ilegíveis”, reclama. O candidato acredita que a imagem foi retirada da internet e impressa, ficando desfocada. “[A prova] foi feita para ninguém passar”, diz.

Outro candidato afirma que o nível da prova foi elevado, porém afirma que há “equívocos de estrutura”. As questões de números 9 e 10 são formuladas em cima do texto “Lição de Violão”. É possível perceber na imagem acima que não há parágrafos no texto, entretanto os questionamentos são sobre vários parágrafos, que não aparecem.

“Na hora de formatar não tinha [parágrafo]. Isso aconteceu em umas seis questões. Também tem “Brasil” com letra minúscula. Determinada questão falava “vizinhança”, mas estava escrito “vizinha”. Ninguém está contestando a parte teórica”, afirma o candidato.

A reportagem apurou que candidatos estão se mobilizando via WhatsApp e recolhendo assinaturas na tentativa de anular a prova.

A assessoria de imprensa da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização) informou que deve se posicionar em breve. A reportagem tentou contato com a Funrio, organizadora do concurso, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

A concorrência pública oferta mil vagas de professores e servidores do setor administrativo. A prova foi aplicada em Campo Grande e Dourados. São 14.370 candidatos inscritos.

Conforme o edital do concurso, os profissionais deverão atuar nas áreas de Arte, Ciências da Natureza – Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Estrangeira – Inglês, Língua Portuguesa/Literatura, Matemática e Química. A carga horária é de 20 horas semanais com salários de R$ 2.878.

Comentários:

GENIVAL DA CUNHA DE PAULA JÚNIOR: Pelo preço da inscrição (216,00) a prova deveria ser totalmente colorida e digitada, pois haviam questões que simplesmente foi utilizado o famoso (Ctrl C + Ctrl V), e não configuraram o tamanho e a visualização. O cartão resposta era em papel comum, A4, impressão dos quadrinhos bem falha, e em banca de concurso respeitável, como a CESPE, o cartão resposta é feito em papel para ser lido em procedimento ótico. No meu caso, no gabarito o mapa está em colorido, e na prova, em preto e branco, com certos riscos da impressão, chega a impressionar o que esta empresa fez. Os parágrafos inexistentes foram uma afronta à Língua Portuguesa, e deixou o candidato, com apenas 4 horas de prova, confuso. Agora é torcer para que a empresa reverta esta situação, pois como ressalto, R$ 216,00 está mais caro do que o concurso da PRF, que é R$ 150,00 e de uma banca que raramente causa transtornos a seus candidatos.

PUBLICIDADE