PUBLICIDADE

Preso em operação alega que passou a ser alvo após comprar carro clonado

Campo Grande News em 03 de Dezembro de 2018

Preso em Campo Grande na manhã nesta segunda-feira (03) durante a operação em combate ao tráfico de armas do Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro, Moacir Teixeira de Freitas, de 46 anos, negou o crime e afirmou ter virado alvo das ações por ter comprado um carro clonado no site OLX. Para a imprensa, Moacir contou que na verdade trabalha em uma lavanderia e que seu suposto envolvimento no esquema começou no meio do ano passado, quando saiu de férias com a família.

Bruna Pasche/CG News

Preso, Moacir foi levado ao Garras

O homem explicou que no ano passado comprou um Hyundai HB20 pelo site OLX e saiu para viajar com a família para o Rio de Janeiro. Na volta a Campo Grande acabou parado pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) e descobriu que o carro era clonado. Segundo ele, os policiais também encontraram buracos na lataria e o prenderam por tráfico de drogas, mesmo sem apreensão nenhuma.

Foram sete meses de prisão, até que em dezembro voltou às ruas. “Acho que estou preso por isso, mas não sabia de nada disso”, afirmou em entrevista. Moacir no entanto era um dos sete alvos da operação com mandados de prisão preventiva decretada pelo justiça do Rio de Janeiro.

Ele foi preso no Bairro São Francisco por policiais do Garras (Delegacia de Repressão de Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e da PRF (Polícia Rodoviária Federal). As equipes ainda realizaram buscas na casa dele, no Parque do Lageado.

Para a polícia, Moacir faz parte de uma quadrilha responsável pelo envio de milhares de munições e centenas de armas de fogo do Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro. As cargas saíam da fronteira com o Paraguai com destino comunidades controladas por uma das maiores milícias e traficantes de drogas da capital fluminense.

Valdisnei Ederson Alves, de 28 anos, também acabou preso nesta manhã. Segundo a polícia, ele estava com o mandado de prisão com o endereço em Bandeirantes, mas como trabalha em um circo, foi localizado em Dourados - cidade a 233 quilômetros da Capital.

Outros cinco alvos da operação estão foragidos em Mato Grosso do Sul. Um deles foi procurado pelas equipes em Nova Andradina, mas não foi localizado. Seis mandados de busca também foram cumpridos no Estado e nada de ilícito foi encontrado.

PUBLICIDADE