Obra em escadaria do Santuário de Ladário gera questionamentos

Rosana Nunes e Ricardo Albertoni em 15 de Agosto de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

A reportagem esteve esta manhã no Santuário e intervenção ainda era executada

Intervenção no topo da escadaria da principal igreja de Ladário, Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, onde pisos de cerâmica estão sendo  assentados sobre ladrilhos hidráulicos, está dando o que falar no município vizinho e mobilizou a Prefeitura e o Conselho de Cultura, porque o Santuário é tombado como patrimônio histórico municipal.

Ao Diário Corumbaense, o secretário de Governo, Rodrigo Arruda, que responde interinamente pela Fundação de Cultura de Ladário e também é membro do Conselho de Cultura, explicou que, informalmente, o Município já tinha sido comunicado sobre uma obra de pintura, visando a comemoração do dia da santa, celebrado em 24 outubro e só ficou sabendo da situação do encobrimento do revestimento artesanal na última segunda-feira, pelas redes sociais.

Em reunião realizada na terça-feira (14), o Conselho Municipal de Cultura decidiu levar a questão às autoridades  -  entre elas o bispo diocesano Dom Segismundo Martinez Alvarez - para que sejam tomadas as devidas providências. Uma vistoria técnica feita por um profissional do Município deve ser realizada no local e as partes também devem publicar uma nota de repúdio lamentando o dano ao Patrimônio Municipal.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Rodrigo Arruda mostrando lei municipal que tombou o Santuário como patrimônio do Município

“Encaminhei para o prefeito Carlos Ruso que vai mandar para o jurídico da Prefeitura para que sejam tomadas as providências e que os órgãos competentes sejam comunicados. O Poder Público como responsável, zelador do Patrimônio do Município, não pode se omitir, é um dano irreparável, não tem mais como consertar e que isso sirva de exemplo para outras situações em Ladário”, disse Rodrigo Arruda a este Diário.

A reportagem esteve no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, mas o pároco da Igreja, padre Celso Ricardo, não quis se pronunciar, apenas frisou que não há nada de errado com a obra.

Tombamento

A lei municipal 969/2016 define que o local passa a ser patrimônio histórico, religioso e cultural do município sendo proibido qualquer alteração e modificações no Santuário. Além disso, o documento estabelece que as restaurações devem preservar a originalidade da construção. A lei que dispõe sobre o tombamento histórico, religioso e cultural do Santuário Nossa Senhora dos Remédios foi sancionada pelo então prefeito José Antonio Assad e Faria.

Entre os 47 artigos destaca-se que se “apurado qualquer  delito contra o patrimônio histórico, paisagístico e cultural do município será comunicado o procurador jurídico que deverá representar criminalmente ao Ministério Público Estadual consoante legislação penal em vigor”.

PUBLICIDADE