Morre "Lari Lalá", o radialista do Pantanal corumbaense

Rosana Nunes em 22 de Julho de 2018

Divulgação

Luiz Ribeiro Quidá, o "Lari Lalá"

Um dos ícones do rádio corumbaense, Luiz Ribeiro Quidá, o “Lari Lalá”, faleceu na noite de sábado (21), aos 78 anos. Ele não resistiu aos constantes problemas de saúde. De junho para cá, sofreu o sexto AVC (Acidente Vascular Cerebral); um edema cerebral isquêmico e uma pneumonia. Havia saído do Hospital de Corumbá na quarta-feira passada e morreu em casa.

“Ele vinha de um quadro de saúde bastante difícil, com várias internações. Quero aqui agradecer aos médicos e enfermeiros do hospital, que sempre cuidaram dele da melhor forma possível”, disse ao Diário Corumbaense o filho do radialista, Wilson Quidá. O corpo de Lalá está sendo velado na capela Cristo Rei, na rua Major Gama esquina com a 13 de Junho. O sepultamento será às 16h30 no cemitério Santa Cruz. Ele deixa esposa, oito filhos, netos e bisnetos.

55 anos de rádio

O primeiro apelido de Luiz Ribeiro Quidá era “Lulu”, quando trabalhava como garçom. Ele não gostava muito, pois achava que “Lulu” era nome de cachorro de madame. Quando passou a trabalhar com serviço de alto falante criou o pseudônimo “Lari Lalá”. Foi para o rádio e lá passou a fazer programa voltado para as pessoas que trabalham em fazendas, que vivem em regiões ribeirinhas. Comandou o Alô Pantanal e se tornou radialista querido pelos companheiros e ouvintes. Tinha bom humor e muitas vezes, arrancava risos ao ler as mensagens. “Alô dona Maria, sua filha manda avisar que o negócio do cavalo está tudo certo...”, entre tantas outras.

E assim foram 55 anos dedicados ao rádio. “Meu pai tinha paixão pelo que fazia, nem quando ficava doente se afastava do trabalho. Só nesses últimos cinco anos que não teve jeito mesmo, a saúde foi ficando frágil  e ele teve que ficar longe dos microfones da Rádio Difusora”, lembrou o filho Wilson.

“Lari Lalá” completaria 79 anos no dia 24 de agosto.

PUBLICIDADE