Comando da PM tem quarenta dias para concluir inquérito militar sobre troca de tiros

Rosana Nunes e Ricardo Albertoni em 10 de Julho de 2018

O Comandante do 6° Batalhão da Polícia Militar de Corumbá, tenente-coronel Massilon de Oliveira Silva Neto disse em entrevista ao Diário Corumbaense, nesta terça-feira (10) que Inquérito Policial Militar (IPM) já foi aberto para apurar os fatos ocorridos na ação policial que aconteceu no final da tarde de segunda-feira (09) no Cravo III e que resultou na morte de três homens durante troca de tiros com os policiais.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Comandante do 6º BPM, tenente-coronel Silva Neto

O comandante explicou que trata-se de procedimento padrão em que as armas dos militares são recolhidas para que passem por perícia e o Comando Geral da corporação no Estado é informado sobre o caso. Segundo Silva Neto, os policiais que participaram diretamente do confronto – três no total – continuam trabalhando normalmente até o término do IPM que tem previsão de conclusão em 40 dias.

“O procedimento é padrão. Imediatamente após o acontecido é aberto um inquérito policial militar para apurar o fato. As armas que os policiais utilizavam já se encontram recolhidas para que seja realizada a perícia e o Comando da corporação foi informado sobre as medidas tomadas”, disse o comandante.

Paralelamente, inquérito instaurado pela Polícia Civil vai investigar as circunstâncias do confronto. As armas de fogo que estavam com os homens mortos foram entregues na 1ª Delegacia de Polícia.

Ficha criminal

O Diário Corumbaense apurou que Fabiano Ronaldo Franco, de 19 anos, quando menor de idade, teve passagem policial por lesão corporal dolosa e agora, tentativa de roubo. Renato de Pinho Ruiz, 26,  tinha passagens por tráfico de drogas, ameaça, vias de fato, perturbação da tranquilidade e do trabalho e tentativa de roubo. Já Thiago Júnior Tertuliano, de 22 anos, por porte ilegal de arma de fogo, roubo e tentativa de roubo. 

PUBLICIDADE