Três Lagoas: vídeo de alunos fazendo sexo em ônibus escolar rural causa polêmica

Campo Grande News em 20 de Junho de 2018

Vídeo de dois alunos fazendo sexo oral dentro de ônibus escolar rural de Três Lagoas – a 338 quilômetros - causou polêmica ao viralizar na internet. As imagens começaram a circular na rede no início desta semana e geraram debate na Câmara de Vereadores do município, além de chamar a atenção do Ministério Público Estadual. 

A reportagem não teve acesso ao vídeo e as informações são do jornal JPNews. Segundo o veículo de comunicação, a cena foi gravada na volta dos alunos - moradores da zona rural - para casa após as aulas. A princípio, os estudantes são da rede estadual e menores de idade.

Não há informações da data em que o vídeo foi gravado. Porém, ao ganhar as redes sociais, as imagens geraram debate na Casa de Leis do município, ontem (19). Os parlamentares questionaram a falta de monitores ou funcionários no trajeto feito pelos alunos da área rural.

Secretaria

O transporte dos alunos da rede estadual de ensino é realizado por meio de convênio com a prefeitura de Três Lagoas. Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Educação, afirma que já comunicou o MPE sobre o fato e que dois monitores acompanharão todo o trajeto dos alunos. Duas mães também foram voluntárias e foram autorizadas a dar suporte ao trabalho de acompanhar o percurso durante 15 dias.

Além disso, a secretaria prepara ações educacionais contínuas junto aos alunos que utilizam o transporte escolar urbano e rural. “A secretaria de Educação, Maria Célia Medeiros, solicitou apoio da Polícia Militar. Ações integradas entre os órgãos deverão nortear as ações para evitar atos inconvenientes nas dependências e veículos escolares”, conta trecho da nota, envida ao jornal local.

Ministério Público

Por meio de nota enviada ao Campo Grande News, a promotora Ana Cristina Carneiro, revelou que somente neste ano já foram instaurados 35 procedimentos que tratam do tema transporte escolar. Segundo a promotora, compete à Secretaria Municipal de Educação fiscalizar o cumprimento das obrigações dos usuários (alunos e pais) e dos prestadores de serviços.

“A Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Três Lagoas tem atuado na apuração de denúncias envolvendo o serviço de Transporte Escolar Rural oferecido pelo Município de Três Lagoas, inclusive, foi instaurado procedimento administrativo com objetivo de acompanhar as medidas do Poder Executivo quanto às irregularidades detectadas, especificamente quanto ao tempo excessivo do percurso que as crianças estão sujeitas em razão da falta de organização quanto as linhas disponíveis e as más condições das estradas, rodovias e pontes por onde trafegam os veículos do transporte escolar. À título de exemplo, temos procedimento que visa solucionar problemática envolvendo alunos que saem de casa para ir à escola as 09h50min da manhã e retornam somente 19h35min., ultrapassando mais de duas horas entre o percurso de ida, o mesmo ocorrendo quanto ao percurso de volta, o que não se admite”, informou nota de promotora.

PUBLICIDADE