Corumbá atende convocação do Hemosul e lota Núcleo Hemoterápico

Lívia Gaertner em 09 de Junho de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

População de Corumbá se mostrou solidária e lotou Centro Hemoterápico durante campanha

O Hemosul convocou e a população de Corumbá e região compareceu em grande número para participar da campanha de doação de sangue promovida este ano na cidade. Entre dois dias, 08 e 09 de junho, o Núcleo Hemoterápico em Corumbá ficou lotado de pessoas dispostas a doar para manter os estoques que abastecem não apenas Corumbá, mas várias cidades de Mato Grosso do Sul.

“Essas campanhas são importantes para mantermos nossos estoques porque temos uma meta todos os meses para atendermos todos os municípios. Essas campanhas precisam acontecer nas cidades para podermos manter o estoque e atender toda a população”, explicou ao Diário Corumbaense, Joana Rodrigues Monteiro, coordenadora da campanha pelo Hemosul.

Entre o preenchimento de ficha, pré-triagem, entrevista e coleta, a doação se processa, em média, em 30 minutos e, cada bolsa coletada, hoje, pode ser transformada em diversos produtos hemoterápicos, atendendo necessidades específicas.

“O sangue tem vários componentes que podem ser fracionados e multiplicar a capacidade de auxiliar mais pessoas”, comentou Joana que afirmou que, apesar de demandas maiores por determinado tipo sanguíneo, todos exercem papel fundamental nas campanhas.

“Todo sangue é bem vindo, mas temos hoje uma crise do O+, que é o tipo mais frequente na população, ou seja, sempre temos uma defasagem porque a demanda é maior, mas os outros tipos também são importantes. Não podemos atender a  população sem a participação de todos”, lembrou ao agradecer a adesão da população de Corumbá à campanha que até o final do ano deverá acontecer novamente na região, assim como em demais municípios do Estado.

A quantidade coletada é de 450 ml e amostras de sangue para os exames obrigatórios por lei. Todo material utilizado é individual e descartável. O doador deve pesar ao menos 50 quilos.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Entre etapas que envolvem cadastro e coleta, cada doador dispensa cerca de 30 minutos

Medula Óssea

De acordo com a Rede Hemosul-MS, para doar sangue para medula, os voluntários precisam ter entre 18 e 55 anos. Na ocasião, são retirados 5ml de sangue, como um exame de laboratório, e o doador é cadastrado no REDOME – Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea do INCA – Instituto Nacional do Câncer. Os dados genéticos são cruzados com os dos pacientes que precisam da medula. Se der compatibilidade genética através do exame HLA, a doação pode ser realizada.

Se for compatível, o doador de medula é avisado e então passa por exames para constatar que está em boas condições de saúde. O procedimento dura aproximadamente 90 minutos e é aplicada uma anestesia para que o processo seja sem dor. As células de medula são tiradas do osso da bacia e não da espinha, portanto, não tem risco para a coluna. Do outro lado, o paciente tem a sua medula doente destruída e recebe as células de medula saudável do doador. A parte da medula retirada do doador se recupera sozinha em no máximo quinze dias.

Para saber mais sobre futuras campanhas, o Núcleo Hemoterápico de Corumbá funciona na rua Colombo, nº 1250, entre a 15 de Novembro e a 7 de Setembro, no Centro. O telefone para contato é (67) 3232-2470.

PUBLICIDADE