Caps ad completa dez anos ajudando centenas de pessoas que lutam contra o vício

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 07 de Março de 2018

No dia 04 de março, o Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS ad) do Município de Corumbá completou 10 anos de existência. Para comemorar a data, irá promover chá da tarde nesta quinta-feira, 08 de março, com pacientes, familiares e profissionais que atuam no local. O evento, que deve começar às 14 horas, pretende reunir também antigos pacientes que realizaram tratamento e já se recuperaram.

Há atualmente 1.556 pessoas cadastradas no CAPS ad que lutam diariamente contra o vício para conseguirem manter sua saúde em dia, vida social e profissional equilibradas. Desses pacientes, 85% são homens e 15% mulheres. A maioria (68%) é maior de 25 anos, enquanto 22% têm entre 18 e 25 anos. Por conta do vício, 79% não possuem vínculos empregatícios, 15% trabalham com serviços gerais e 11% são pedreiros.

Gisele Ribeiro/PMC

CAPS ad fica localizado na rua Cabral, entre 7 de Setembro e 15 de Novembro

Muitos pacientes (37%) chegam ao Centro acompanhados de familiares, mas 31% buscam tratamento por vontade própria e 32% foram encaminhados por outros serviços e instituições. “A partir dos vínculos familiares que foram sendo construídos ao longo desses dez anos, muitos pacientes buscam pelo CAPS ad espontaneamente quando não se sentem bem e é comum que cheguem acompanhados de amigos que se encontram na mesma situação. Eles se sentem acolhidos, pois sabem que a qualquer momento terá um profissional para ouvi-los”, afirmou Marci Eliane de Melo Oliveira, coordenadora do Núcleo de Saúde Mental do Município de Corumbá.

Ainda conforme dados do Centro, 65% em tratamento na unidade começaram com o vício na adolescência, entre 12 e 18 anos, e 44% entraram nessa situação a partir do uso de bebidas alcoólicas. Destes, 28% ingressaram na dependência química com uso de álcool associado a alguma droga ilícita, especialmente maconha e cocaína. São usuários de múltiplas drogas 44% deles, com predominância de pasta base e maconha, e 33% são usuários de álcool.

Atualmente, o CAPS ad conta com alguns parceiros, como o Narcóticos Anônimos (NA), Alcoólicos Anônimos (AA), Pastoral da Sobriedade, Fundação de Cultura, Secretaria Municipal de Assistência Social, através do Projeto Reabilitar; Fundação de Esportes de Corumbá (Funec) e Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). A equipe do Centro é composta por 11 servidores: psicólogos, assistente social, enfermeiro, terapeuta ocupacional, médico clínico geral, técnico de enfermagem, auxiliar administrativo, artesã e recepcionista.

São atendidas em média 75 pessoas por mês e realizados 1.300 procedimentos como consultas médicas, atividades em grupos com diferentes finalidades, atendimentos individuais, atendimento à família, visitas domiciliares, busca ativa a pacientes que abandonaram o tratamento, entre outros serviços.

Sucesso do tratamento depende muito do paciente

De acordo a coordenadora do CAPS ad, Leysianne Pereira Martins, o local não trabalha apenas com a abstinência dessas pessoas, mas a promoção da qualidade de vida delas é prioridade. “Precisar o número de pacientes que saíram do vício/dependência é de extrema complexidade. As pessoas conseguem se manter em abstinência por meses, outras por anos, isso depende de cada um, é algo extremamente individual. Por isso mesmo, o CAPS ad não tem como regra trabalhar apenas a abstinência total, mas a qualidade de vida do paciente, seja feita pela abstinência ou pela redução de danos, respeitando o desejo de cada um que busca por tratamento, até porque o sucesso depende muito da vontade e disposição do usuário”, afirmou Leysianne.

O envolvimento, atenção e participação da família são essenciais para a eficácia do tratamento, conforme a psicóloga do CAPS ad Sílvia Segóvia Araújo Freire. Não se pode impor aos pacientes os desejos e opiniões dos profissionais que trabalham no tratamento deles, é necessário respeito e a criação de estratégias junto aos pacientes para que o objetivo seja alcançado.

“A dependência não tem cura. É como se existisse algo dentro do indivíduo e ali permanece dormindo, precisando de cuidado para caso acorde, o paciente consiga controlar. Precisamos trabalhar com as alternativas que os usuários passam a desenvolver para substituir o uso da droga e do álcool”, explicou a psicóloga Sílvia Freire.

Ela lembrou que o CAPS ad é um serviço essencial em Corumbá por ser um município muito distante da Capital e fazer fronteira seca com a Bolívia, terceira maior produtora mundial da cocaína, perdendo apenas para Colômbia e Peru. “O serviço do Centro é imprescindível para a cidade por realizar atendimento de qualidade, principalmente humanizado, respeitando as particularidades de cada indivíduo e, acima de tudo, o direito de escolha do ser humano, sem deixar de respeitá-lo por isso”, afirmou Sílvia.

Onde encontrar o CAPS ad

O Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS ad) é um serviço ambulatorial que está sempre de portas abertas para ajudar pessoas que se sentem prejudicadas pelo uso do álcool e das drogas. Os interessados podem procurar atendimento das 07h às 17 horas, de maneira espontânea ou encaminhada. Em Corumbá, ele fica localizado na rua Cabral, nº 1208, entre as ruas Sete de Setembro e 15 de Novembro. O telefone de contato é o (67) 3907-5427.

 

PUBLICIDADE