SED apura caso de estudante que teria sido impedida de ir ao banheiro pela professora

Lívia Gaertner em 02 de Março de 2018

Arquivo Diário Corumbaense

De acordo com postagem de familiares, caso teria ocorrido na 5ª feira, 1º de março, na escola Octacílio Faustino

O caso de uma criança, de 06 anos de idade, que ganhou repercussão nas redes sociais por mostrar a estudante com a roupa molhada após ser impedida de ir ao banheiro pela professora, está sendo apurado pela Secretaria Estadual de Educação.

O fato vexatório, segundo a postagem realizada por familiares da menina, teria acontecido na manhã de quinta-feira, 1º de março, na escola estadual Octacílio Faustino da Silva, no bairro Popular Velha, em Corumbá. A criança teria sido impedida de ir ao banheiro pela professora e teria urinado na sala de aula. A postagem ainda relata que, ao conversar sobre o fato ocorrido com a filha, a mãe percebeu "ar de deboche" da direção da unidade de ensino.

O Diário Corumbaense apurou que a Coordenadoria Regional de Educação de Corumbá, CRE-3, na manhã desta sexta-feira, 02 de março, se reuniu com o pai e o tio da estudante. Uma equipe da coordenadoria foi enviada à escola para ouvir relatos da professora envolvida no caso, como também do diretor e diretora-adjunta do Octacílio Faustino. 

Ficou marcada uma reunião entre os pais da estudante, professora e gestores da escola com a Coordenadoria de Educação, para esclarecer os fatos e as providências que se fizerem necessárias. 

Este Diário optou por não reproduzir a foto postada nas redes sociais da criança com a roupa molhada.

Comentários:

José Mendes: A publicidade dessas coisas está gerando um sociedade de mimimi. Vídeo, exposição, fotos. Tem que procurar, conselho, órgãos competentes pra atender. Não expor mais ainda as pessoas, a escola. Construir uma educação e ensino melhor. E não estou falando das reportagens de jornal, que apenas repercute os mimimis da sociedade

Sérgio Cunha: Não sei se este tal de José Mendes é pai, agora dizer que a indignação dos pais de uma criança que passou por uma situação humilhante dessas é mimimi é no mínimo ignorância. Há crianças que sofrem de incontinência urinária e não podem segurar. Tem mais é que expor na mídia mesmo, a escola, a professora, a direção e todos os responsáveis envolvidos. Os pais devem procurar o ministério público e denunciar e se fosse filho meu Sr. José Mendes, pode crer que não ficaria só no "mimimi".

PUBLICIDADE