Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
21 de Maio de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Corumbá notificou apenas um caso de dengue na primeira semana de janeiro

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 17 de Janeiro de 2018

Renê Marcio Carneiro/PMC

Foram visitados 3.264 imóveis nas atividades de rotina

Apenas um caso de dengue foi notificado na primeira semana de 2018. O caso suspeito foi diagnosticado no bairro Dom Bosco. É o que informa o Boletim Epidemiológico número 1, da Secretaria Municipal de Saúde de Corumbá. O levantamento identificou ainda um caso notificado de zika vírus na região do Jardim dos Estados.

Na semana 01 não houve nenhum caso notificado de chikungunya em Corumbá, assim como a influenza. Já no período entre 31 de dezembro de 2017 e 07 de janeiro de 2018 foi confirmado um caso de leishmaniose visceral no bairro Cravo Vermelho III.

Diarréia

A diarreia aguda é uma síndrome clínica de diversas etiologias que se caracteriza por alterações do volume, consistência e frequência das fezes, mais frequentemente associada com a liquidez das fezes e o aumento no número de evacuações. Com grande frequência costuma ser acompanhada de vômitos, febre, cólicas e dor abdominal. 

Algumas vezes pode apresentar muco e sangue (disenteria). Em geral é autolimitada, isto é, tende à cura espontaneamente, com duração entre 2 a 14 dias, e sua gravidade depende da presença e intensidade da desidratação ou do tipo de toxina produzida pelo agente que provocar outras síndromes.

Conforme o Boletim Epidemiológico, na semana 01 foram registrados 4.394 casos de doenças diarreicas agudas. Destes, 225 casos ocorreram crianças menores de um ano, 1.080 em crianças de um a quatro anos, 468 casos em criança de cinco a nove anos e 2532 casos em crianças com mais de 10 anos.

Na primeira semana de janeiro de 2018, também já foram notificados 14 casos de conjuntivite viral. A doença é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Em geral, ataca os dois olhos, pode durar de uma semana a 15 dias e não costuma deixar sequelas.

Ações

Com base nos casos notificados e confirmados, as equipes da Secretaria de Saúde realizaram as seguintes ações de combate ao vetor: foram visitados 3264 imóveis nas atividades de rotina, onde foram feitas eliminação de focos com o objetivo de impossibilitar o desenvolvimento do vetor e orientação junto aos moradores para que evitem o acúmulo de materiais que possam favorecer o depósito de ovos do mosquito transmissor.

A equipe de bloqueio químico realizou a borrifação com a bomba costal em 274 imóveis nas micro áreas São Vicente, TV Morena, Jardim dos Estados, Almirante Tamandaré. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE