Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
21 de Maio de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Câmara de Corumbá discute alternativa para consumidor pagar menos pelo gás de cozinha

Da Redação em 16 de Janeiro de 2018

A Câmara Municipal de Corumbá está discutindo alternativas para o corumbaense pagar um preço mais acessível pelo gás de cozinha. Hoje, o botijão entregue em casa, está em torno de R$ 90,00, e isso tem gerado reclamações constantes do consumidor local.

Divulgação

Reunião aconteceu na Câmara de Corumbá

Os vereadores Evander Vendramini, presidente do Poder Legislativo, e Manoel Rodrigues, apoiado pelos demais pares da casa, se reuniram com representante da YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos), juntamente com empresários brasileiros ligados ao setor de logística e de importação, para buscar uma alternativa viável, para o corumbaense pagar um preço mais em conta pelo gás.

O encontro aconteceu na Câmara Municipal e, além do gás, outro tema tratado foi a importação da ureia que entraria por Corumbá, com destino não só às regiões produtoras do Mato Grosso do Sul, mas também a outros estados brasileiros.

Além dos dois vereadores, a reunião contou com as presenças de Dorival Oliveira, assessor da presidência do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logísticas de MS (SETLOG-MS); Lourival Junior, da SETLOG-Pantanal, e Hugo López Meneses, da YPFB, empresa pública boliviana dedicada à exploração, destilação e venda do petróleo e seus derivados.

“Sabemos que o gás de cozinha da Bolívia é mais barato que o de Corumbá. Uma das propostas era formalizar um acordo entre Brasil e Bolívia, permitindo que pudéssemos comprar o gás engarrafado boliviano nas cidades do outro lado da fronteira”, comentou Evander, lembrando que isso depende de questões jurídicas que podem ser tratadas entre os dois governos.

Também foram amplamente discutidas questões relacionadas aos impostos, transportes, peso, etc. “É uma saída. Buscamos o gás na Bolívia, já engarrafado, 13 quilos, e ele seria comercializado em nossa região”, observou, lembrando que é preciso ter um valor exato, inclusive no que se refere a impostos, “para voltar a discutir o assunto, já em Santa Cruz, e buscar melhores condições, barateando o preço final ao consumidor”.

Ureia

Além do gás, o encontro serviu para tratar da questão da importação da ureia boliviana, que entraria por Corumbá com destino às grandes regiões produtoras. A SETLOG-MS demonstrou interesse em formalizar uma parceria e Dorival Oliveira saiu do encontro municiado de informações que servirão como base para análise de viabilidade. As informações são da assessoria de comunicação do Legislativo Municipal. 

Ações e Compartilhamento
Comentários:

wanderh costa: Parabéns a ambos vereadores nossos pela BRILHANTE INICIATIVA, pois na capital, os consumidores chegam a encontrar gás de 13 kg a partir de R$ 53,00. Apesar que, após a cidade de Miranda até ao Porto Morrinho, temos a sensação de estarmos geograficamente isolados, sendo o motivo pra encarer qq produto que chegue até nós.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE