Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
25 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Após tratamento de saúde, secretária de Educação retoma atividades na Reme

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 09 de Janeiro de 2018

Depois de 32 dias afastada para tratamento de saúde, a secretária municipal de Educação, Maria Eulina Rocha dos Santos, reassumiu seu cargo e retomou suas atividades no Município. De acordo com ela, o seu retorno está sendo com bastante trabalho e confiança, com planejamentos para este ano e continuidade de projetos bem sucedidos. Isso para que a população tenha educação qualitativa, o que para ela tem sinônimo de desenvolvimento local.

Gisele Ribeiro/PMC

A secretária Maria Eulina Rocha dos Santos estava afastada das funções para tratamento médico

Conforme Maria Eulina, em 2017, houve vários projetos piloto que deram certo e, por isso, devem ser aprimorados e continuados. Por exemplo, o projeto “Seguindo em Frente”, que tem o objetivo de preparar os alunos do 9º ano da Rede Municipal de Ensino de Corumbá para o processo de admissão a cursos de nível médio que oportunizem aos jovens uma visão mais positiva de futuro. Isso por meio de formação que lhes favoreça o desenvolvimento pessoal e profissional, tais como: IFMS e Sistema S de Ensino, por meio do Projeto Lapidando Talentos para a Carreira Profissional, entre outros.

“No ano de 2017, o projeto funcionou em dois polos com aulas realizadas em dois dias na semana, atendendo a 130 estudantes. Dos participantes do projeto, foram aprovados 39 na primeira etapa da prova do IFMS e do projeto ‘Lapidando Talentos’ do SENAI. Os demais ficaram para a segunda chamada. Tivemos depoimentos de pais que disseram que seus filhos estavam realmente bem encaminhados e gratos à Prefeitura pela aprovação, o que para gente é de grande orgulho”, afirmou Maria Eulina. Para este ano,  a pretensão é aumentar a quantidade de dias destinados às aulas e que o curso alcance cerca de 260 estudantes.

Para os mais jovens, no ano passado, houve inserção de nova metodologia dentro da Educação Infantil. Quanto aos professores, eles receberam formações “excelentes”, conforme Maria Eulina, e foram valorizados. “Muitas vezes as pessoas acreditam que valorizar o servidor diz respeito apenas à situação financeira, mas não é bem isso. Valorizar o servidor é, além desse fator, também investir nele, em formações em serviço. Neste ano, vamos aprimorar esse atendimento ao professor para que ele possa estudar”.

Junto com o Governo Federal, que vai promover o “Mais Alfabetização”, o Município deve investir ainda mais na formação de docentes do 1º e 2º anos do Ensino Fundamental. O programa que deve ser iniciado na Rede Municipal de Ensino a partir de abril e vai contar com assistente de atendimento dentro das salas das duas séries. Além disso, para a Educação de Jovens e Adultos será aprimorada parceria com o IFMS, colocando um curso a mais no Proeja FIC, já que atualmente oferece apenas o curso de operador de computador. Em 2017, houve 238 alunos dentro da EJA, mas esse número deve aumentar com a ampliação de atendimento. Os cursos da EJA e Proeja FIC estão sendo abertos atendendo a solicitações da comunidade.

O projeto “Professor Pesquisador” também será aperfeiçoado. “Contribuindo com o professor para que ele faça pesquisas e comece a transformar o chão da escola em um lugar científico. Pretendemos ampliar isso para que ele, desde a Educação Infantil, seja um professor pesquisador e cultive na criança a pesquisa científica”, afirmou Maria Eulina.

Educação Patrimonial integrará currículo escolar

Dentro da matriz curricular, está sendo implantada a Educação Patrimonial porque Corumbá é um “patrimônio vivo” de obras e de bens imateriais, segundo a secretária. “Quem tem uma cultura viva valoriza e cuida do espaço onde mora”, disse. Outra novidade é a implantação da língua espanhola do currículo escolar para a Educação Infantil. A matéria já existe do 6º ao 9º ano. “Acreditamos que quando a gente trabalha o respeito à cultura do outro somos respeitados enquanto pessoas e diminuímos a violência. Acredito que, com isso, teremos menos violência na fronteira. Queremos que a educação contribua também na sua função social”, disse a secretária de Educação.

O Programa de Ações Educativas (PAE) deve prosseguir nas unidades escolares para ser desenvolvido com jovens de 09 a 17 anos e suas famílias. O objetivo é que se trabalhe para que os pais e alunos saibam lidar com todo tipo de violência que pode ser levada à escola trazida pelo contexto social. Através do Fundo Municipal de Investimentos Sociais (FMIS), foi realizado projeto para aquisição de ônibus para que os jovens vulneráveis à violência possam participar de ações educativas e sociais no contraturno escolar. O projeto tem sido possível com ajuda de parceiros como Marinha do Brasil e Moinho Cultural.

“O PAE será aprimorado este ano com a construção de manual de orientações para os pais, informando a eles o que podem fazer ao perceberem que seu filho está com algum problema que possa prejudicá-lo ao ponto de levá-lo ao abandono escolar. Teremos uma equipe em parceria com equipe psicossocial do Ministério Público para trabalhar a família e esse aluno. Vamos ampliar essa rede junto à Assistência Social para que façamos atendimento dessa família em vulnerabilidade no CRAS e no CREAS”, finalizou a secretária municipal de Educação Maria Eulina Rocha dos Santos.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE