Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
25 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Governo e professores já têm acordo para pagamento do piso salarial em 2018

Campo Grande News em 29 de Dezembro de 2017

O governo estadual e os professores já têm acordo firmado para o pagamento do reajuste de 6,81% do piso nacional da categoria, em 2018. Ele será pago em duas etapas, a primeira em maio, durante a data base de todos os servidores, e o que faltar em outubro.

O presidente da Fetems (Federação dos Professores de Mato Grosso do Sul), Jaime Teixeira, explicou que foi acordado em lei, que o reajuste definido na quinta-feira (28), pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, de reajuste de 6,81%, vai ter a primeira parte junto com o reajuste linear aos servidores, e depois, o restante em outubro.

Chico Ribeiro/Arquivo Governo do Estado

Reunião entre governo e professores ocorrida em março deste ano

Teixeira ponderou que o salário na rede estadual de ensino chegou a R$ 3,4 mil ao professor de ensino médio, sendo acima do valor pago nos municípios, em média R$ 2.298,00. "Cada cidade tem sua negociação e acordos firmados, mas os gestores terão que pagar em janeiro, já no âmbito estadual está tudo acordado", disse.

A informação foi confirmada pelo secretário estadual de Administração, Carlos Alberto Assis, que ainda ponderou que o professor do Estado recebe o maior salário do País. "Mostra que a atual gestão coloca a educação como prioridade, investindo nos profissionais com capacitação, salário e carreira, além de se preocupar com a infraestrutura das escolas", frisou.

Assis ponderou que o setor tem todo um planejamento para o próximo ano, citando que os kits escolares, uniforme e merenda estarão disponíveis a todos os alunos, desde o primeiro dia de aula do ano que vem. "A educação é importante para nós, por isso existe todo o cuidado para ser cada vez mais de melhor qualidade".

O secretário ainda lembrou que no ano passado, devido a crise financeira e queda da arrecadação, o aumento do piso salarial de 7,64%, foi pago em duas parcelas, sendo a primeira de 2,94% em setembro e a segunda de 4,70% agora em dezembro. "Existe um acordo para se chegar ao pagamento do piso em 20 horas até 2021".

Piso

O reajuste anunciado pelo ministro Mendonça Filho, segue a Lei do Piso, que estabelece a atualização anual do piso nacional do magistério, sempre a partir de janeiro. De acordo com o MEC, por estar acima do índice de inflação previsto para este ano, o piso nacional do magistério terá um ganho real de 3,9% e um salário de R$ 2.455,35, para jornada de 40 horas semanais. Nos últimos dois anos, os professores tiveram um ganho real de 5,22%, o que corresponde a R$ 124,96, de acordo com a pasta.

Para o presidente da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Heleno Araújo, o percentual está dentro do esperado, pois foi calculado de acordo com o mecanismo já utilizado nos últimos anos.

No entanto, ele alerta para o fato de que faltam dois anos para o cumprimento da meta 17 do Plano Nacional de Educação, que estabelece que até 2020 o salário médio dos professores deve ser equiparado com o salário médio de outras profissões. “Vai precisar de um esforço maior do MEC, junto com estados e municípios para que essa meta seja alcançada até 2020”, disse Araújo.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE