Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
19 de Janeiro de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Definição sobre candidatura à reeleição caberá ao partido e à população, diz Reinaldo

Campo Grande News em 27 de Dezembro de 2017

O governador Reinaldo Azambuja afirmou na manhã desta quarta-feira (27) que sua eventual candidatura à reeleição será definida pelo PSDB e também pela população, cabendo aos aliados defenderem o “legado” da atual gestão sul-mato-grossense. E reforçou que, caso tenha respaldo para pleitear um novo mandato, não deve haver preocupação no partido em relação aos adversários.

Marcos Ermínio/CG News

Reinaldo afirma que, caso pensasse em eleições, não teria adotado medidas consideradas impopulares

As declarações foram dadas durante sanção à lei que transforma Nossa Senhora do Perpétuo Socorro na padroeira de Mato Grosso do Sul, realizada em evento na igreja de mesmo nome, em Campo Grande. Questionado sobre a agenda política de 2018, o governador afirmou que deixou a cargo do PSDB todas as discussões envovendo alianças e candidaturas.

“O partido é quem vai definir como vai ser o ano eleitoral, a agenda de reuniões, a busca por alianças”, declarou Reinaldo, ao cobrar dos futuros candidatos a defesa das ações comandadas por sua gestão.

“Vão defender o legado do governo, aquilo que foi construído nesses três anos: os projetos que o governo fez, as obras e, principalmente, as ações de equilíbrio das finanças que levaram o governo a bons indicadores na segurança pública, na geração de emprego, nos investimentos privados e no aumento do PIB [Produto Interno Bruto], o maior do país”, cobrou o governador. “Nós e os aliados vamos defender esse legado”.

Candidatura

Virtual candidato à reeleição, Reinaldo afirmou que a decisão sobre quem o PSDB lançará ao Executivo estadual caberá ao partido e à população. “Ninguém é candidato de si mesmo. Tem de ver se a população quer que continuemos e se o partido entende que devo continuar”, destacou o governador.

Reinaldo afirmou que seu foco não está na reeleição, uma vez que, caso trabalhasse por um novo mandato, não teria encampado projetos que enfrentaram resistência de setores da população – como a reforma da previdência.

“Nunca pensei em campanha, e sim no equilíbrio financeiro do Estado, para que Mato Grosso do Sul pudesse crescer e enfrentar a crise, na qual a maioria dos Estados sucumbiram”, destacou.

Adversários

Questionado sobre os pré-candidatos já colocados na disputa pelo governo em 2018, Reinaldo afirmou que “adversário não se escolhe”, lembrando da campanha anterior, quando ele não figurava como eleito em pesquisas de intenção de voto.

“Se formos para a disputa, quem vai escolher é a população, como sempre foi”, declarou. “Na última eleição tinha candidato com o terno pronto para assumir, mas no final a história foi diferente. Por isso digo: a população é quem vai escolher. Nós não devemos escolher adversários”.

Até o momento, além da possível candidatura à reeleição de Reinaldo, o ex-governador André Puccinelli (MDB), o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT), o ex-prefeito de Mundo Novo, Humberto Amaducci (PT), e o empresário Cláudio Sertão (Podemos) são colocados como pré-candidatos ao Parque dos Poderes no ano que vem.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE