Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
21 de Janeiro de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Campanha antirrábica já vacinou cerca de 12 mil animais em Corumbá; meta é imunizar 25 mil

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 23 de Dezembro de 2017

O Município já vacinou cerca de  12 mil cães e gatos na segunda campanha de vacinação contra raiva promovida em Corumbá. Equipes da Secretaria Municipal de Saúde estão indo de casa em casa imunizando animais desde o dia 16 de novembro. As vacinações estão sendo feitas agora no Centro da cidade. Espera-se que aproximadamente 25 mil doses sejam aplicadas até o final da campanha.

Clóvis Neto/PMC

Animais estão sendo vacinados em casa em casa

“Mais da metade dos bairros programados já receberam visita dos vacinadores. O que nos preocupa muito é a circulação viral que ainda existe em Corumbá. Tivemos um caso de cachorro infectado no início do ano no bairro Maria Leite e agora a Iagro nos comunicou que no Tamarineiro II há casos de raiva em bovinos e isso é muito preocupante. No Tamarineiro, estamos realizando trabalho de orientação aos proprietários e fazendo vacinação em cães e gatos. Os proprietários que tiveram contato com animais com suspeita da doença precisam procurar a unidade de saúde para fazer tratamento”, afirmou Viviane Ametlla, gerente de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Corumbá.

Conforme ela, o dono de um sítio chegou essa semana à cidade afirmando ter tido contato com animal doente há trinta dias. O homem está recebendo tratamento com soro e vacinas. “A população precisa cuidar bem de seus animais e ficar atenta a qualquer tipo de agressão de animal. Muitas vezes, a pessoa não procura a unidade de saúde por achar que foi agressão leve, mas estamos com problema sério na Bolívia, país onde já teve quatro óbitos de humanos e apresenta mais de 900 casos suspeitos de raiva canina”, disse Viviane.

Conforme a gerente de Vigilância em Saúde, é importante que pessoas que foram mordidas, arranhadas ou lambidas por animais que apresentam sintomas como salivação em excesso, mudança de humor, raiva, problemas neurológicos e dificuldade de deglutição busquem socorro médico o mais rápido possível. O socorro deve ser procurado principalmente em casos de agressões de animais desconhecidos. Para prevenção, é fundamental também que donos de cães e gatos permitam que equipes do CCZ entrem nas casas para aplicar a vacinação. Caso o proprietário não esteja na residência, deve levar seu animal o quanto antes ao Centro de Controle de Zoonoses para ser imunizado.

Com relação ao gado, o controle de vacinação é feito pela Iagro e não pela Prefeitura de Corumbá. Ao Município cabe a prevenção da doença com relação a cães e gatos e o cuidado com moradores que tiveram contato com animais infectados. Conforme Viviane Ametlla, o tratamento de uma pessoa que teve contato com animal com suspeita de raiva dura em média 15 dias, mas depende da situação. Cada caso é avaliado pela equipe médica, porém, é um tratamento simples com vacinas e soro com intervalos de tempo, sendo medidas 100% eficazes de prevenção à doença. “É importante ressaltar que só há dois ou três casos de cura de raiva humana no mundo. Ela é uma doença fatal”, finalizou Viviane Ametlla. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE