Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
12 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Natal e Ano Novo devem movimentar mais de R$ 170 milhões em MS, aponta pesquisa

Lívia Gaertner em 05 de Dezembro de 2017

As comemorações de Natal e Ano devem movimentar cerca de R$ 172 milhões em Mato Grosso do Sul. É o que aponta a pesquisa de intenção de compras e de uso do 13º salário realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio MS (IPF MS) e pelo Sebrae entre os dias 13 a 24 de novembro com 2.161 pessoas de 13 municípios do Estado.

No Natal, o índice de consumidores que irão comemorar a data em casa ou na casa de amigos é o mesmo (28% cada) e 30% afirmam que vão consumir bebidas, perfazendo um gasto médio por pessoa de R$ 207. No Ano Novo, o índice de consumidores que irão comemorar a data em casa é maior que os que vão para casa de familiares ou amigos:  34% com alimentação em casa, 28% com alimentação na casa de familiares e 32% afirmam que vão consumir bebidas, perfazendo um gasto médio por pessoa de R$ 172,53.

Para os corumbaenses, a projeção de maior gasto fica entre aqueles que optarem por viajar nessa época. Conforme a pesquisa, os viajantes de Natal pretendem gastar R$ 200 frente aos R$ 175 daqueles que optarem passar a data em clube. A alimentação típica da época influenciará num gasto médio de R$ 123,3 daqueles que declararam que irão comemorar a data na casa de familiares; R$ 136,5 na casa de amigos e R$ 162,7 na própria casa. As bebidas devem consumir média de R$ 51,4 do bolso do corumbaense em média para a festividade.

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Em Corumbá, pesquisa revelou que quase 48% dos entrevistados pretendem presentear durante o Natal

“Desmembramos o uso de cada recurso pelo consumidor durante esse período, a fim de obtermos um retrato mais fiel do seu comportamento”, contou o presidente do IPF-MS, Edison Araújo. “Com esse diagnóstico, os empresários poderão traçar estratégias para alavancar as vendas, para chegar a esse consumidor com propostas diferenciadas de preço, qualidade e atendimento. Para os comerciantes do setor alimentício, a pesquisa mostra que o atendimento deverá ser redobrado, bem como os estoques”.

 A recomendação se justifica porque o levantamento mostra que, os gastos médios com comemorações aumentaram significativamente em relação a 2016. Em comemorações de natal e ano novo, o gasto médio por consumidor sul-mato-grossense será de R$ 380,00. Para a compra de presentes, o valor médio por pessoa será de R$ 201,00 movimentando a economia do Estado em R$ 81,76 milhões. Esse valor é 5 % menor que o montante do ano passado.

O montante destinado a compras de presentes para o Natal em MS será de R$ 81,76 milhões. A média de presentes por entrevistado é dois e os homenageados serão filhos (26,5%), mães (18%) e o cônjuge (14,6%). A preferência de consumo é roupas (38%), brinquedos (23%) e calçados (13%), conforme demonstra o gráfico desta notícia.  A maioria (60%) afirma que as compras serão feitas na região central e em dinheiro (81%).  Qualidade (34,41%), preço (30,89%) e atendimento (17,93%) serão os itens levados em conta ao adquirir o presente.

Em Corumbá, a pesquisa revelou que quase 48% dos entrevistados pretendem presentear durante o Natal e deverão escolher produtos com médio de preço de R$ 200, perfazendo uma projeção de movimentação econômica de R$ 7.393.349,02.

13º Salário 

O resultado da pesquisa destaca que  40,07% dos pesquisados receberão o 13º salário. Desses, 21,82% indagaram que já receberam alguma parcela do benefício. No Estado, espera-se que haja uma movimentação de R$ 2,39 bilhões que serão distribuídos entre 1.049.277 pessoas. Somente o comércio de bens e serviços representa 49,82% do total de empregos de Mato Grosso do Sul (RAIS, 2016). Logo, esse segmento pode haver um dinamismo do 13º salário superior a R$ 1 bilhão, atendendo mais de 500 mil trabalhadores. O recurso será usado para pagamento de contas em atraso (33%), poupança (19,9%) e pagamento de despesas de início de ano, como IPTU, IPVA e material escolar (9,86%).

“É uma notícia boa para o empresário, pois o pagamento de contas em atraso e de despesas de início de ano pode amenizar o índice de inadimplência, que somente para Campo Grande possui um percentual de aproximadamente 17%, conforme informações da CNC (2017)”.

Os municípios pesquisados foram: Aparecida do Taboado, Aquidauana, Anastácio, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Ladário, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas. Com informações da assessoria de imprensa.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE