Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
12 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Com devolução do Arthur Marinho, prefeito determina estudos para construção de estádio municipal

Da Redação em 29 de Novembro de 2017

Faltando menos de um mês para o Município passar a administração do Estádio Arthur Marinho de volta à Liga de Esportes de Corumbá (LEC), o prefeito Marcelo Iunes determinou a realização de estudos para a construção de um estádio municipal. O Arthur Marinho é administrado pelo Município desde 2007, por meio de um convênio (002/2007) que expira no dia 26 de dezembro deste ano. A edição da lei federal n° 13.091/2014 impede a prorrogação do acordo.

Marcelo Iunes disse que sua gestão irá devolver o estádio em plenas condições de uso. “O dia 26 de dezembro será o último dia da Fundação de Esportes de Corumbá (Funec) como administradora do estádio Arthur Marinho. Entregaremos, com certeza, em perfeitas condições de uso para os campeonatos. A partir do dia 27 de dezembro vai ser a Liga de Esportes que vai administrar o estádio”, afirmou. Iunes complementou que a situação em que a praça esportiva será entregue vai ser apresentada ao Ministério Público Estadual (MPE) e à imprensa corumbaense.

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Arthur Marinho é administrado pelo Município desde 2007, por meio de convênio que expira no dia 26 de dezembro deste ano

O chefe do Executivo esclareceu que por determinação legal, o que tiver de patrimônio público no estádio, terá de voltar para o domínio do município. “Quero deixar claro que não é porque está acabando o convênio, que vamos deixar o estádio Arthur Marinho vazio. Por força de lei, tudo o que foi adquirido pelo convênio Funec/LEC pertence ao patrimônio público como placar eletrônico, a maca móvel; o trator para corte de grama, tudo volta para o Município. É obrigação legal, sendo patrimônio do Município não pode ficar”, explicou.

Com a devolução da administração do estádio para a LEC, o prefeito vislumbra a possibilidade de Corumbá ter um estádio municipal. “Determinei à Secretaria Municipal de Infraestrutura a realização de estudos e levantamentos para construirmos um estádio municipal. Para, mais a frente, se o Corumbaense precisar, terá um estádio mais moderno, mais aconchegante, com capacidade em torno de 10 mil a 12 mil pessoas”, adiantou Iunes.

A ideia inicial do prefeito é que as obras comecem nos primeiros meses do ano que vem. “Se começar em janeiro, de repente, o Corumbaense pode jogar no estádio municipal de Corumbá”, salientou Iunes ao antecipar que vai sugerir o nome do estádio à Câmara de Vereadores. “Vamos encaminhar para Câmara a sugestão para que se chame Estádio Municipal Ruiter Cunha de Oliveira”, concluiu o chefe do Executivo corumbaense.

A lei do convênio

A Lei Federal 13.019/2014 estabelece o regime jurídico das parcerias entre a Administração Pública e as organizações da sociedade civil, em regime de mútua cooperação, para execução de finalidades de interesse público e recíproco. Também define diretrizes para a política de fomento, de colaboração e de cooperação com organizações da sociedade civil. As informações são da assessoria de comunicação da PMC

 

Ações e Compartilhamento
Comentários:

Hamilton almeida: Acho que o campo do roseiral seria uma ótima opção para se construir um estádio.

Dudah Souza: Gente, qual a necessidade de um estádio? O hospital está um caos, sobrecarregado e sem aparelhagem, a população precisa de ajuda e não de distração. Vamos focar no que realmente importa, saúde, educação e segurança, por favor. Estádio nós já temos, sendo ou não municipal, vamos lutar pelo que de fato a população de modo geral precisa.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE