Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
14 de Agosto de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Vêm aí os cortes

Da Redação em 22 de Novembro de 2017

As prefeituras de Corumbá e Ladário têm urgência em adequar as despesas à realidade da arrecadação. Por conta disso, ambas devem promover cortes de gastos, diminuir salários de comissionados e, no caso de  Ladário, já se fala em atraso de salários. Um problemão que os servidores públicos devem enfrentar já agora, no fim de ano e, mais intensamente no início de 2018.

Em Corumbá

Conversas de bastidores dão conta de que o prefeito Marcelo Iunes pode promover uma adequação do quadro de servidores. Iunes já havia dito que pretende manter a equipe criada pelo saudoso prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, mas o próprio Ruiter já havia sinalizado que estaria estudando um pacote de medidas para contenção de gastos.

Além disso

Iunes deve mexer no quadro para formar a sua própria equipe, coisa que preferiu não fazer de imediato, mas que fatalmente irá acontecer. Um chefe de Executivo sempre quer pessoas suas, de sua confiança em lugares específicos de sua administração. Com Marcelo não seria diferente.

Para minimizar

Marcelo Iunes quer o apoio do governador Reinaldo Azambuja para realizar obras na cidade. Ele suspendeu alguns empreendimentos para dar prioridade às folhas de pagamento de fim de ano e por isso será imprescindível o “carinho” do governador com Corumbá, como preferiu frisar.

Condicionamento

E ainda condicionou a sua troca de partido, do PTB para o PSDB, a esse  “carinho” de Azambuja. O prefeito quer que as obras previstas nas assinaturas de contratos em setembro passado, no aniversário da cidade, sejam iniciadas, como já deveriam ter sido, segundo ele.

Ao que parece

Não vai ter meio termo com Marcelo Iunes. O prefeito que assumiu há menos de um mês já dá mostras de que vai brigar por Corumbá com unhas e dentes.  

Em Ladário

O prefeito Ruso baixou um decreto no mês passado tirando vantagens e benefícios dos salários de contratados e comissionados e proibindo horas extras e novas contratações. Parece que a medida não foi suficiente e o arrocho vai ser ainda maior.

Demissões

O prefeito estaria preparando um pacote de demissões que deve afetar principalmente a Educação. Já circula a notícia de que no final deste mês, todos os professores contratados deverão ser exonerados e ainda não há uma explicação sobre como vai terminar o ano letivo.

Atraso de salários

Também há notícias de que o prefeito Ruso já teria determinado o pagamento dos salários em duas parcelas, uma no início do mês e a outra depois do dia 10 de dezembro. Não se tem a confirmação ainda se só os da Educação ou de todos os servidores.

Detalhe

Os salários dos secretários, do prefeito e do vice, permanecem  os mesmos. O prefeito ganha R$ 18 mil, o vice-prefeito recebe R$ 11 mil e cada secretário R$ 7,5 mil. Já as diárias de viagens continuam estourando. Ou seja, aperta-se de um lado e abre-se a burra do outro. Bem típico de administração pública mesmo.     

(*) Detalhe é uma coluna de opinião do Diário Corumbaense que aborda os mais variados assuntos. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE