Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
19 de Novembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Consultoria propõe mudança de comportamento para sucesso nos negócios

Lívia Gaertner em 24 de Outubro de 2017

Empresas com uma história consolidada no mercado, mas que não aderem à ideia do “em time que está ganhando não se mexe”, pelo contrário, acreditam que a fórmula de se perpetuar está justamente nas mudanças. Em Corumbá, um grupo de empresários com essa mentalidade topou encarar o “Desafio do Empreendedor”, uma consultoria ao longo de 7 meses que visa atingir justamente a prática  comportamental de quem conduz o negócio.

“Trabalho focado para os diretores da empresa, que essas pessoas que representam a empresa venham irradiar comportamentos nas demais pessoas do grupo. A gente acredita que o exemplo vem de cima”, explicou ao Diário Corumbaense, o consultor de resultados, Carlos Roque.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Uma das ações propostas pela consultoria é conhecer negócios de setores diferentes e opinar sobre seu funcionamento

A cada mês, ele visita as empresas e entrega tarefas a serem feitas baseadas num diagnóstico próprio de cada empresa. É um processo longo porque, segundo ele, a mudança de comportamento não é algo instantâneo. “É um trabalho que pede esforço porque demanda em algum momento mudança de hábito, de comportamento para ter esse resultado melhor. Nosso negócio é nossa cara, então, as virtudes e problemas que lá existem são frutos de nós mesmos. E se há a vontade de tornar as coisas melhores, se faz necessário algum ajuste na forma de conduzir a coisa para que isso realmente aconteça porque será impossível alcançar algo diferente fazendo as mesmas coisas. O trabalho não é de uma semana porque sempre há a tendência dela voltar a fazer as coisas mais cômodas”, afirmou.

O consultor esclareceu que o trabalho não se resume apenas a propor mudanças, mas também a detectar quais os pontos fortes do negócio e estimulá-los. Conforme Roque, não perceber essas características também acaba gerando resultados não satisfatórios para a empresa. Num outro patamar, a observação promove o incremento ou a ampliação do negócio.

“A gente respeita as coisas boas que ela faz porque tem muita gente que não as enxerga, então estimulamos, lembrando que respeitamos cada negócio. Não seja cego às oportunidades. Às vezes, é comum as pessoas da cidade não conseguirem ver isso e daí vem alguém de fora, enxerga isso e se estabelece com sucesso", ensinou.

Em tempos quando a economia no país vem sofrendo oscilações, o consultor explica que o comportamento empreendedor é a grande saída para solidificar e fortalecer o negócio com vistas também a um período futuro quando a engrenagem econômica se reencaixar.

“Período de crise serve para selecionar. Quem aproveita o momento para se aprimorar, desenvolver sua forma de trabalho, estará melhor preparado para o período de bonança. As pessoas se movimentam pelo amor ou pela dor, então quando as coisas estão bem, dificilmente elas procuram outra alternativa porque está bem, confortável. Quando existe a crise, elas tendem a se movimentar para buscar opções, então, na verdade, quem se movimenta tende a ter melhor resultado, mas ainda assim não é garantia de sucesso, pois é preciso tomar a decisão certa com vistas ao resultado”, alertou.

Corumbá é uma "porta de oportunidades", diz consultor

Carlos Roque, que vislumbra Corumbá como uma “porta de oportunidades” no estado de Mato Grosso do Sul, orienta os empreendedores que acabam caindo num erro bastante recorrente. “Uma das coisas que o empreendedorismo prega é que nós não podemos ser funcionários do próprio negócio, devemos desenvolver o processo de liderança, o crescimento que cada um deve passar no processo de empreender.”

Consultor Carlos Roque (em pé à esquerda) destaca que o empreendedor precisa "delegar atividades"

“Se ele quer que seu negócio se torne maior, quer mais tempo com seu próprio negócio, tem que desenvolver a capacidade de delegar atividades, de identificar pessoas que possam fazer o trabalho e que ele fique no âmbito estratégico e não operacional. O empreendedor como operacional é um funcionário muito caro. O empreendedor vai pela capacidade de tomar decisões e não pelos braços e pernas que possui”, completou.

Amanda Cláudia do Nascimento Miguéis, proprietária de um restaurante estabelecido na cidade, avaliou que está justamente nesse ponto o maior desafio da consultoria. “Fazer o grupo de dentro da empresa participar dessa mudança de comportamento proposta, acredito que seja nossa maior tarefa. O grande desafio é fazer os colaboradores assimilarem a necessidade dessa mudança porque eles são a porta de entrada do seu negócio”, disse.

Entre as ações levadas aos empresários está a de conhecer negócios distintos aos seus, avaliar e propor soluções. Essa atividade ajuda a treinar a observação ao mesmo tempo em que proporciona a troca de experiências. “Você se espelhar no colega, ver suas atividades, dar opiniões sobre o que vive, então essa troca de experiência está sendo muito engrandecedora, tanto no pessoal como profissionalmente”, analisou a este Diário a empresária.

Com uma loja de construção civil implantada há cerca de nove anos na cidade, a empresária Lenise Maria Viégas Carvalho de Siqueira Conti avaliou positivamente a metodologia aplicada que se inicia com o diagnóstico do negócio. Para ela,  a presença do consultor auxilia o grupo de colaboradores. “Esse atendimento individual conseguiu diagnosticar algumas falhas, os valores que deveriam ser trabalhados e melhorados. Toda a equipe tem percebido essa importância e vem participando por ver a necessidade desse desenvolvimento. Essa aplicação da mudança, quando você sente alguém por trás, as pessoas percebem que não é algo unilaterial, mas tem um suporte especializado, baseado em estudos”, comentou.

Gerente administrativo de uma pax, Leonardo Prado, também já percebeu os benefícios de participar do Desafio Empreendedor que, de acordo com ele, propõe um dos pilares na qual se sustenta a empresa. “Esse momento que a gente passa por uma reformulação, vê aquilo que já vem fazendo, executando. As ações que fazemos e trazemos já sabemos  os resultados, mas e daqui pra frente? O que a gente quer alcançar? Nesse momento é necessário uma mudança, continuidade nesse crescimento, nessa inovação que faz parte da visão e valores da nossa empresa”, afirmou ao dizer que a consultoria de comportamento empreendedor coloca os responsáveis pelo negócio a refletir sobre práticas que reflitam em resultados mais proveitosos.

“A mudança de comportamento é muito importante porque a consultoria só traz resultados se você está disposto a mudar e foi muito bom para mim olhar falhas, saber dar prioridade naquele momento e não ficar apagando incêndio que é muito comum a gente, no administrativo, acabar fazendo”, analisou.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE