Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Outubro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Festival América do Sul Pantanal terá Criolo como uma das atrações musicais este ano

Lívia Gaertner em 27 de Setembro de 2017

O rapper Criolo será uma das atrações do 14º Festival da América do Sul Pantanal que será realizado entre os dias 26 de novembro e 03 de dezembro em Corumbá. A vinda do artista, que conquistou não apenas o público, mas também os críticos, foi um pedido da comunidade de Corumbá feito em um movimento pelas redes sociais intitulado “Queremos Criolo no Festival América do Sul” e que foi reforçado durante a audiência pública realizada na cidade pantaneira para definir os detalhes do evento.

Divulgação

Criolo fará show no dia 1º de dezembro na praça Generoso Ponce

A contratação de Criolo foi publicada na edição desta quarta-feira, 27 de setembro, do Diário Oficial do Estado. Segundo o contrato, o rapper deverá realizar show no dia 1º de dezembro com duração de 90 minutos, a partir das 23 horas, no Palco da Integração, que será montado na Praça Generoso Ponce. O valor do contrato, assinado por Athayde Nery Freitas Júnior, diretor-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, é de R$ 90 mil.

Criolo atua há muitos anos no movimento da cultura de rua, porém ele veio ganhando mais destaques nos últimos tempos ao promover o rap com outros gêneros, sobretudo o samba, com o qual lhe foram rendidos grandes elogios e ampliado seu público. Aliás, seu mais recente trabalho “Espiral de Ilusão” é dedicado a este ritmo e foi lançado este ano.

O artista

Kleber Cavalcante Gomes, nascido na cidade de São Paulo em 1975, é mais conhecido como o rapper Criolo Doido ou simplesmente Criolo. Porém sua música não se prende somente ao termo rap. Soul, MPB, samba, hip hop e afrobeat são alguns dos gêneros pelos quais suas canções transitam.

Apesar de ter começado a cantar rap em 1989, Criolo somente começou a aparecer no cenário musical na primeira década dos anos 2000. Ele foi vendedor de lojas e rua, e, entre 1994 e 2000, trabalhou como educador.

Com o nome artístico de Criolo Doido, o rapper lançou o seu primeiro álbum - 'Ainda Há Tempo' - em 2006. Nesse mesmo ano, Criolo fundou a Rinha de MC's, evento promovendo as batalhas de improvisação, shows, exposições de graffiti e fotografias. Foi na Rinha de MC's que o rapper gravou o DVD "Criolo Doido Live in SP", lançado em 2010.

Em 2011, o artista paulistano mudou o nome artístico de Criolo Doido para Criolo e lançou o seu segundo álbum, 'Nó na Orelha', produzido por Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral. 'Nó na Orelha', que teve a música "Não existe amor em SP" como principal destaque, apresentou sonoridades mais diversificadas, misturando samba, afrobeat , funk, soul, hip hop e brega. Na premiação MTV Vídeo Music Brasil (VMB) daquele ano, Criolo ganhou os prêmios de melhor álbum e melhor canção ("Não existe amor em SP").

Aclamado pela crítica, 'Nó na Orelha' também foi eleito pela Revista Rolling Stone o melhor disco de 2011. Em 2014, Criolo lançou 'Convoque seu Buda', seu terceiro álbum de estúdio. No ano seguinte, ele lançou em parceria com Ivete Sangalo 'Viva Tim Maia!, um tributo a Tim Maia.

Em 2016, ele regravaçou com diversos produtores oito faixas de seu primeiro disco, 'Ainda Há Tempo', lançando um novo álbum com o mesmo nome. 'Espiral de Ilusão', um disco de samba, foi lançado em 2017. (Com informações do Muzplay).

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE