Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Outubro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Presidente da República ou chefe de quadrilha?

Da Redação em 13 de Setembro de 2017

O Brasil está chegando realmente ao fundo do poço, principalmente depois dessa última revelação de Joesley Batista, da JBS, de que o presidente Temer é “chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”. Segundo as denúncias, Temer seria o chefe de um bando que teria Eduardo Cunha como negociador e ainda o envolvimento de ministros, ex-ministros, senadores e deputados federais.

Mero mensageiro

O Joesley, dono de um império que pode ruir deixando milhares de trabalhadores desempregados, tem citado os nomes de muitos políticos aos quais, supostamente, sua empresa pagava propina. Sobre Geddel Vieira Lima, ele disse que era apenas um “mensageiro”, daquela que está sendo chamada de “quadrilhão do PMDB”.

Defesa de Temer

Para se defender, o presidente Michel Temer afirma que Joesley Batista é “o bandido notório de maior sucesso na história brasileira. Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com aval da justiça”.

Tem que ser bandido

Bem, se Joesley fez delação premiada, é porque é bandido. Nenhum cidadão de bem faz delação premiada. O próprio nome já diz premiada, ou seja, o cara entrega todo mundo e em troca, recebe como prêmio o perdão pelos crime que cometeu.

Tem que se preparar

Se conselho fosse bom, seria vendido, mas vamos lá. O brasileiro tem que se preparar para dias de muita austeridade. A instabilidade causada por toda essa roubalheira vai explodir e, quando explodir, vai pegar todo mundo, do mais pobre ao mais rico, do homem à mulher. E, infelizmente isso pode não estar longe de acontecer.

Voltando a Ladário

Manifestantes tomaram a avenida 14 de março ontem à noite. Foi uma movimentação em favor do prefeito Ruso que pode ser afastado pela Câmara que investiga denúncia de nepotismo no Executivo.

É delicado

Para fazer uma avaliação, torna-se um processo delicado. Ao que pareceu, havia pouco menos de 100 pessoas, a maioria da Secretaria de Educação, entre professores, diretores e inspetores de alunos, além de secretários e funcionários, a maioria contratados.

Convocação

Os manifestantes voltaram a convocar a população para acompanhar a sessão da Câmara na segunda-feira à noite. O movimento, intitulado “Deixe o prefeito trabalhar”, agora quer atrapalhar o trabalho dos vereadores também, ou seja, toma lá, dá cá...

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE