Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
18 de Junho de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

"Novo Cangaço" é tema de curso do Bope para policiais militares e agentes da segurança

Ricardo Albertoni em 29 de Agosto de 2017

Fotos: Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense

Instruções são feitas pelo capitão da PM Vinicius de Souza Almeida

Com o objetivo de traçar um plano de defesa para a região de Corumbá e Ladário, começou nesta terça-feira (29), no auditório da Polícia Militar Ambiental, curso ministrado pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais de Mato Grosso do Sul (BOPE), a agentes de segurança pública da região. Cerca de 20 policiais do 6º Batalhão da Polícia Militar de Corumbá, além de integrantes da PRF (Polícia Rodoviária Federal), Receita Federal e Guarda Municipal participam das instruções. 

O curso tem como foco transmitir aos agentes das forças de segurança, informações sobre as primeiras intervenções em situações de crime utilizando a modalidade conhecida como “Novo Cangaço”, denominação utilizada para os crimes de roubo a instituições financeiras.

As instruções são feitas pelo capitão da PM Vinicius de Souza Almeida,que veio a Corumbá acompanhado do sargento Aragaki. O oficial falou da importância de os policiais estarem preparados para o combate dessa modalidade de crime, considerado impactante contra a sociedade.

“Desde 2007 temos temos vários ocorrências de crimes com essas características cometidos em Mato Grosso do Sul. Comparado com os outros estados da Federação é muito menor, porém temos sim várias ocorrências. Na verdade, o crime do 'Novo Cangaço' tem um impacto muito forte para a sociedade porque causa terror, faz reféns, usa explosivo, e a nossa preocupação maior é com a vida do policial e da população. O principal objetivo é esse, salvaguardar vidas”, disse o capitão PM.

Curso acontece no auditório da Polícia Militar Ambiental

De acordo com a 2º tenente Letícia Escobar, do 6º BPM, o estudo sobre a ação criminosa sendo acompanhado por outros agentes da segurança pública é importante para que haja alinhamento nas ações de resposta e prevenção das forças diante de situações de crimes com essas características.

“Se houver uma situação do gênero, o 6º BPM assim como as outras instituições que estão presentes como Guarda Municipal, PRF, Receita Federal, cada um vai saber a sua parcela de responsabilidade para atuar e para prevenir esse tipo de crime aqui. Por ser uma região de fronteira e já ter acontecido situação semelhante na Bolívia, nós temos que estar atentos. A PM trabalha com prevenção, então, temos que fazer de tudo para que o efetivo do 6º BPM e os órgão de segurança da região estejam preparados para uma situação do gênero, para que todos utilizem as técnicas garantindo a segurança dos agentes da lei e dos cidadãos de bem”, destacou a tenente do 6º BPM.

O curso, que terá  duração de três dias, com encerramento previsto para a próxima quinta-feira (31), será composto em sua maior parte por instruções teóricas com uma parte prática no final.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE