Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
19 de Outubro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Programa desenvolvido em escola rural usa o laço para estimular estudantes

André Navarro em 08 de Agosto de 2017

Juntar a tarefa da escola com a da lida do campo agora é uma forma a mais de estimular os estudantes das escolas rurais brasileiras. Uma lição que está sendo seguida diretinho na Escola Municipal Rural Monte Azul, que fica no Assento Taquaral, na zona oeste de Corumbá, já na fronteira com a Bolívia. Lá, o laço é objeto de aprendizado, criatividade e estímulo que inclusive reúne pais, professores, diretores e alunos em um único objetivo, o de melhorar a qualidade da educação e valorizar a atividade rural.

André Navarro

Professora Josiane de Moura coordena o programa Laço no Cavalete

“Quando você trabalha com a educação do campo, a formação nos ensina que tem que trabalhar com o conhecimento científico juntamente com os conhecimentos adquiridos com o aluno, trazidos para sala de aula”, explicou a professora Josiane Aparecida da Silva Xavier de Moura, coordenadora do Programa Laço no Cavalete que vem se transformando até em um grande atrativo das festas rurais realizadas em Corumbá e Ladário.

No final de semana que passou, os estudantes fizeram uma apresentação na festa de 20 anos do Assentamento 72, em Ladário e, no outro final de semana, estiveram presentes na Festa da Agricultura Familiar, no Assentamento Taquaral. O objetivo é laçar o touro, de preferência nos chifres somente. Cada laçada acertada arranca aplausos do público que vibra com o bom desempenho da meninada.

O Bruno, de 12 anos, foi o grande motivo da criação do projeto. “Ele me fez questionar se a minha prática educativa estava indo de encontro com esse sentimento que ele trazia para dentro da sala de aula”, disse Josiane. “E aí o projeto nasceu dessa necessidade, primeiro de trabalhar com esse conhecimento que eles tinham, que era o dia a dia deles, a vida do campo; segundo o resgate histórico e o terceiro, de eles acharem a escola interessante por estar vinculada à vida deles, com o conhecimento que têm”, completou.

A partir daí, com o incentivo e participação do diretor da escola, um educador reconhecido e premiado nacionalmente, o professor Zezinho, o projeto tomou corpo e hoje já faz parte do dia a dia dos alunos da Monte Azul. “É ele, o professor Zezinho que faz os touros de madeira”, contou a professora Josiane. O diretor conta com a ajuda dos pais dos alunos nessa lida, que se sentem orgulhosos de poder contribuir para incentivar os filhos na escola.

André Navarro

Bruno foi a inspiração da professora para desenvolver o projeto

“A gente laça pra apartar os bezerros e tirar leite”, contou Bruno Mota Silva, o aluno que deu origem ao projeto. Segundo ele, agora não precisa nem chamar que ele vai para a escola sozinho e rapidinho. “Mas eu também já laço bezerro de verdade”, disse Bruno que além de laçar o boi de madeira, ainda montou no touro mecânico e fez uma belíssima apresentação.

Apesar do projeto do laço estar ficando famoso e cada vez mais requisitado nas festas, a Monte Azul, que já desenvolveu diversas atividades com os alunos não vai parar por aí. A professora Josiane já anunciou que, para o mês que vem, começa um novo desafio, a criação de codornas.

E é dessa forma, juntado a ruralidade dos estudantes que sabem plantar, criar, laçar, ao conhecimento científico, que essa escola rural do Taquaral vem conseguindo bons resultados, que acima de tudo, ajudam a mostrar que o assentamento de trabalhadores rurais vem se desenvolvendo e que, os filhos dos produtores estão estudando, aprendendo e se aperfeiçoando para plantar um futuro ainda mais próspero e rico em conhecimento nos campos brasileiros.  

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE