Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
20 de Outubro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Robótica mostra que tecnologia não é coisa do futuro e ainda ensina sobre ser humano

Lívia Gaertner em 05 de Agosto de 2017

Há muito tempo o robô deixou de ser algo do futuro. Cada vez mais presentes no nosso cotidiano, esses mecanismos auxiliam o homem em diversas tarefas e até mesmo na Educação onde vem ganhando mais adeptos como uma forma prática de aplicabilidade de conceitos trazidos por diversas disciplinas da grade curricular tradicional.

Prova disso é a OBR (Olimpíada Brasileira de Robótica) que, nesta edição, teve um número superior de inscritos a do ano passado e por isso está sendo realizada em etapas regionais durante neste sábado, 05 de agosto, em quatro cidades do Estado: Campo Grande, Dourados, Três Lagoas e Corumbá.

Na cidade pantaneira, onze equipes buscam vagas para a etapa estadual que está marcada para acontecer no final deste mês, em Campo Grande. Os integrantes são de escolas públicas e privadas do município que precisam demonstrar a um corpo de jurados a desenvoltura que as máquinas por eles criadas possuem para cumprir uma série de desafios dentro de um circuito pré-estabelecido.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Trabalho em equipe é um dos ensinamentos trazidos com a prática da Robótica

Não apenas montar a máquina, é preciso também programá-la de forma que entenda e execute movimentos e isso não é nada fácil, pois exige do estudante uma série de conhecimentos e, sobretudo, muita paciência e persistência.

“É tentativa e erro constantes. Ontem, por exemplo, ficamos até quase uma hora da manhã na escola testando e tentando sem parar para hoje e ainda assim precisamos fazer ajustes antes da competição, então a gente aprende muito mais”, avaliou Rafael, da escola estadual Carlos de Castro Brazil.

O jovem conta que despertou o interesse pela robótica porque é fã de filmes e séries como a do Homem de Ferro, personagem da Marvel que cria uma armadura extremamente poderosa. Hoje, com a robótica como a grande paixão, o jovem não pensa num  futuro longe de uma carreira associada à tecnologia. “Quero cursar Engenharia Mecatrônica”, projeta.

Com 17 anos e concluindo o Ensino Médio, Marx, também da escola Carlos de Castro Brazil esclarece que as pesquisas para montagem do robô da competição começaram há um bom tempo, mas a “mão na massa” mesmo durou apenas alguns dias. Para ele, a tecnologia não é algo distante. “Ela está mais presente em nossas vidas do que as pessoas imaginam e compreender como funciona é entender a nossa relação com o mundo atualmente”, avaliou o jovem que participa da primeira competição do gênero.

Com mais experiência, porém também 17 anos, Marcus Vinícius de Castro Sambrana, da escola Sesi, explica que a prática da robótica traz muito mais do que conhecimentos técnicos a quem a desenvolve.

“Ela envolve muitas coisas boas porque agrupa as pessoas, deixando-as mais próximas umas das outras já que trabalhamos em equipe. Uns são bom em programação, outros em construção e nisso a gente vai se ajudando”, comentou o jovem que pelo segundo ano consecutivo participa do desafio.

Estudantes aprendem que persistência é chave para o sucesso

Pedagógica

Coordenador pedagógico e educacional da escola Sesi, local  da etapa regional, o professor Marcel Giordano Jeffery atribui que a robótica vem ganhando mais adeptos graças à divulgação de eventos como a OBR. Ele analisa que a aplicação prática dos conceitos já seria uma ganho imenso, entretanto, o professor afirma que os benefícios somam ensinamentos de ordem humana.

“Ela vem para cada vez mais incentivar essa produção dos alunos, mostrar o que tem lá fora, a importância da tecnologia na área da Educação. A gente vê resultados, meus alunos que se entregam na robótica melhoram cem por cento o desempenho na escola, em respeito de equipe, saber ouvir o treinador, a lidar com imprevistos, segurar pressão, resolver problemas, então eles crescem muito, desenvolvem outras competência se habilidades que o livro didático não consegue ensinar.

A competição irá selecionar uma equipe do Ensino Fundamental e quatro do Ensino Médio para a etapa estadual. O resultado deve sair após o encerramento das atividades previsto para às 18 horas. No Mato Grosso do Sul, 98 equipes participam da etapa regional, porém apenas 48 delas serão selecionadas para a próxima etapa marcada para os dias 25 e 26 de agosto, em Campo Grande, no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE