Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
17 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Professores aceitam proposta salarial e retomam aulas na rede estadual nesta quinta-feira

Da Redação em 26 de Julho de 2017

Divulgação

Decisão dos sindicatos municipais foi ratificada em assembleia na tarde desta quarta-feira na Fetems

Os professores da Rede Estadual de Ensino Público aceitaram a proposta salarial apresentada pelo Governo do Estado, após deliberação das bases em cada um dos 74 Simteds que compõem a Fetems(Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul). O debate final aconteceu em assembleia geral na tarde desta quarta-feira (26), na sede da Federação, em Campo Grande e as aulas serão retomadas nesta quinta-feira (27).

A reunião contou com a presença de aproximadamente 400 participantes, entre delegados(as) representantes dos 74 Sindicatos Municipais dos Trabalhadores em Educação que compõem a Federação, vice-presidentes das 14 regionais, e delegados de base da CNTE (Confederação Nacional  dos Trabalhadores em Educação).

Para o professor Paulo.Antonio dos Santos, presidente  do Simted de Bataguassu, a atual crise econômica no país e um cenário de arrocho salarial não deixam muita margem para negociar com os governos. “Vivemos em um momento de retirada de direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras de todas as categorias, aliado a uma enorme recessão econômica. Precisamos garantir a nossa legislação que integraliza o piso por 20 horas e para isso é necessário neste momento adotar um estratégia que garanta essa conquista”, avaliou.   

“Essa não é a proposta que queríamos, votei contra porque acredito que era possível avançar mais se fizéssemos uma greve geral, mas se a maioria decidiu em não escolher pela greve, cabe agora continuar lutando pela valorização do administrativo e mantermos um estado de alerta caso o governo queira retirar mais direitos dos trabalhadores em educação," disse Lidinalva de Melo Ferreira,agente de limpeza da Escola Estadual João Dantas Filgueiras de Três Lagoas.        

“Seria melhor o cumprimento da legislação como foi aprovada em 2015, porém diante do quadro que foi debatido com a categoria, os trabalhadores e trabalhadoras em educação entenderam que é melhor manter essa política de promoção de um ganho real nos últimos anos, apostando no cumprimento integral das etapas que estão sendo negociadas, e mantendo a integralização do piso até 2020, por 20 horas, em Mato Grosso do Sul. Uma politica que nos levou a um dos melhores salários do Brasil”, pontuou o professor Jaime Teixeira, presidente da Fetems.      

Ele destacou que agora é o momento de intensificar as tratativas em relação aos funcionários administrativos em educação. Já foi estabelecido com o Governo, a criação de uma Comissão de Negociação, específica para os administrativos,  em busca da implantação de uma política de valorização da categoria. "Entendemos que há um déficit com os nossos trabalhadores e trabalhadoras administrativos da educação. Esse é um debate que será prioritário com o Governo”, disse o presidente da Fetems.     

A proposta do Governo: 

- Garante o índice de equivalência de 78,16% para integralizar o piso por 20horas, no mês de dezembro de 2017, aplicando o percentual de 7,64% na tabela de dezembro de 2016, dividido em duas parcelas, sendo a primeira de 2,94% em setembro, e 4,7% no mês de dezembro;   

- Integralizar no mês de outubro de 2018 o índice do piso nacional a ser anunciado em 2018, garantindo em outubro de 2018 o índice de equivalência de 78,16%. O reajuste terá como base a tabela de dezembro de 2017, no entanto, havendo concessão de revisão geral aos demais servidores públicos o índice será aplicado, no mesmo período também aos professores, sendo este valor deduzido do índice do Piso Nacional quando da integralização em outubro de 2018; 

- Garante o índice de equivalência de 82,53% no mês de dezembro de 2018; 

- Definir o mês de maio como data base;

- Mantém a convocação da mesma forma que no primeiro semestre; 

- Não haverá alteração no Estatuto dos profissionais em Educação.

O governo irá encaminhar um projeto de lei à Assembleia Legislativa com a íntegra do acordo para que haja a repactuação da Lei Complementar nº 200. Com informações da assessoria de imprensa da Fetems.   

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE