Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
19 de Agosto de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Planejamento fez a diferença para o Corumbaense conquistar segundo título no ano

Ricardo Albertoni em 25 de Julho de 2017

Divulgação: Corumbaense Futebol Clube

Jogadores e comissão técnica após a conquista inédita do Estadual Sub-19

Pela segunda vez no ano, o Corumbaense foi campeão estadual. Dois meses depois de o time profissional conquistar o título do Campeonato Estadual após 33 anos de jejum, no último domingo (23), o time de juniores ficou com a taça da competição disputada por atletas de até 19 anos. O Carijó derrotou o Operário pelo placar de 3 a 0 em pleno Morenão, em Campo Grande.

O sonho de qualquer jogador de futebol é ser campeão, e ser campeão duas vezes no ano e ainda levantar uma das taças é algo que pouquíssimos atletas conseguem. O zagueiro Jair está nesse seleto grupo. Ele esteve no elenco do time profissional, bicampeão em maio deste ano e foi o capitão da equipe campeã do Estadual Sub-19.

“É uma sensação inexplicável, pois realizei dois sonhos no mesmo ano. Tinha o sonho de ser campeão pelo Corumbaense e consegui ser campeão no profissional e na base também, o que foi uma conquista inédita. Desde os meus 14 anos eu vivo na base do clube, batalhando, passando tempos bons e ruins, anos que nem sequer disputamos o campeonato e tive a honra neste meu último ano poder levantar a taça”, contou o jogador que ainda destacou o apoio da Prefeitura durante a competição.

“Foi um campeonato muito bem disputado, organizado. Não chegaríamos ao título se não fosse o apoio da Prefeitura, o amparo espetacular do prefeito Ruiter Cunha que nos apoiou do começo ao fim do campeonato, inclusive estando presente na arquibancada em Campo Grande, assim como fez durante a campanha do time profissional”, lembrou ao Diário Corumbaense.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Capitão Jair e volante Marlon com a taça do Estadual

O volante Marlon ressaltou que a dificuldade da competição foi tão grande que a decisão aconteceu apenas no último jogo. “Todos os jogos foram difíceis, mas soubemos nos posicionar nos jogos. Falhamos contra o Comercial, o que impossibilitou que nos classificássemos antecipadamente, mas graças a Deus fizemos um bom jogo no Morenão e saímos com resultado positivo e justo porque trabalhamos muito para essa conquista. Foi um campeonato muito difícil, tanto é que se resolveu apenas na última rodada, mas conseguimos nosso objetivo”, explicou Marlon.

O técnico Chiquinho Neto confessou que ficou surpreendido com o comportamento dos jogadores, já que muitos vieram do projeto “Nosso Talento”, desenvolvido pela Prefeitura por meio da Funec (Fundação de Esporte) e que praticamente não tinham uma base profissional. “Ficamos surpreendidos, esperávamos uma pressão do Operário maior no início, mas o que esperávamos para um começo de partida foi cumprido à risca. Praticamente tomamos conta do primeiro tempo e os três gols ainda foi pouco pelas oportunidades que tivemos. Os jogadores me surpreenderam porque a maioria veio do projeto Nosso Talento, então não tinha aquele trabalho de base, por isso trouxemos alguns jogadores para dar uma reforçada, mas foi uma surpresa muito positiva”, disse o treinador.

A este Diário, o prefeito Ruiter Cunha contou que como gestor e torcedor, foi gratificante apoiar os jovens atletas. “O futebol é uma paixão do brasileiro e o corumbaense não foge à regra. Além disso, é uma ferramenta de inclusão social e ajuda a divulgar a cidade. Vejam só, são três competições nacionais para o ano que vem, tratam-se de grandes oportunidades de divulgação do município, do Pantanal lá fora. Temos que nos preparar, continuar com o planejamento que vem dando certo”, analisou o prefeito ao garantir a continuidade da parceria com o clube.

Trabalhos da equipe serão retomados em um mês

A partir de agora, o time começa o planejamento para participar da Copa São Paulo de Futebol Júnior, que terá início em janeiro de 2018. Corumbaense e Comercial serão os representantes de Mato Grosso do Sul na competição. Para a Copa São Paulo, o time vai começar um novo planejamento. Os trabalhos devem ser retomados dentro de um mês, já que a lista do elenco deve ser enviada em setembro para a Federação Paulista, organizadora da “Copinha”.

Aliás, planejamento tem sido mesmo a palavra chave para o Corumbaense. Para Chiquinho, que viveu os dois lados com a camisa do alvinegro pantaneiro, como técnico e jogador, essa pode não ser a receita do sucesso, mas é um fator de extrema relevância para bons resultados.

“Fui jogador muito tempo no Corumbaense e percebo que o futebol na cidade deu um grande salto em relação ao profissionalismo. Esse é o pensamento do clube para o ano que vem, com planejamento antecipado, principalmente com muitas competições a serem disputadas. Os títulos foram merecidos porque saímos meses na frente dos adversários e seria injusto se o trabalho não fosse coroado”, opinou.

De acordo com o técnico Chiquinho, a Copinha que é vista como a principal vitrine para os jogadores das categorias de base deve servir como estímulo para que atletas não cedam às investidas de empresários após a conquista do título estadual que já estão acontecendo. “Tem muita gente ligando, de olho nos meninos, empresários ligando. A gente torce por eles e pra mim seria gratificante ver algum deles jogando em um time conhecido no cenário nacional, mas acredito que a Copinha será uma vitrine melhor, com gente do mundo inteiro observando”, finalizou o treinador.

O Corumbaense terminou a competição em primeiro lugar com campanha de 8 jogos, 5 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. Com 16 pontos, o time fez 16 gols e sofreu 9, gerando um saldo de 7 gols. A última vaga para a Copinha ficou com o
vice-campeão Comercial, que venceu o União/ABC por 1 a 0.

Com a conquista da vaga para a Copa São Paulo do time Sub-19, Corumbá será representada em três competições de nível nacional em 2018, já que o time profissional disputará a Série D do Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, além de tentar o tricampeonato estadual.

Copa São Paulo de Futebol Júnior

A 49ª Copa São Paulo de Futebol Júnior “Copinha” deve acontecer em janeiro do ano que vem. Em 2017, o Corinthians foi campeão da competição disputada por 120 times, divididos em 30 grupos. Os dois primeiros de cada grupo avançam para a fase seguinte, que geralmente é composta por
mata-mata.

Confira a classificação final

1º Corumbaense  – 16 pontos (CAMPEÃO)
2º Comercial – 13 pontos
3º Urso – 11 pontos
4º Operário – 10 pontos
5º União/ABC – 07 pontos

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE