Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
16 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Dono da JBS diz que esquema de propinas aos partidos começou em MS

Campo Grande News em 18 de Junho de 2017

O dono da empresa JBS, o empresário Joesley Batista, afirmou em entrevista publicada neste sábado (17) pela revista Época que o esquema de pagamento de propinas que o frigorífico participava começou em Mato Grosso do Sul, durante a gestão do ex-governador José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT.

Joesley é proprietário da empresa ao lado dos irmãos. Um deles, Wesley, já havia declarado em delação à Justiça que a empresa operava no Estado dentro de um esquema de corrupção desde os tempos de Zeca, continuando a prática durante os governos de André Puccinelli (PMDB) e Reinaldo Azambuja (PSDB).

A delação foi feita há um mês e os dois ex-governadores, assim como o atual, negaram tais acusações. Reinaldo, inclusive, entrou com ação no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo a anulação a delação feita pelos donos da JBS.

Segundo Joesley afirmou à Época, para que conseguisse operar normalmente em Mato Grosso do Sul, ele teria que realizar o pagamento de propinas. "Vi uma estrutura organizada no andar de cima, como o governador. As coisas no Estado só funcionaram dentro da normalidade se estivéssemos alinhados com eles", frisa.

O empresário ainda completou, frisando que "esse esquema perdurou até hoje". "Foi do PT ao PMDB, e agora, está no PSDB. Tudo com o mesmo modelo, o mesmo 'modus operandi'. Mudam os nomes, mas o sistema permanece igual". destaca.

Na mesma entrevista, Joesley voltou a fazer acusações contra os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, o deputado federal cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o presidente Michel Temer (PMDB). O dono da JBS afirmou que Temer é o chefe da mais perigosa quadrilha do país.

Em resposta, Temer e os demais afirmaram ser mentiras as afirmações do empresário. Temer foi além e, em nota oficial, chamou Joesley de bandido notório e que irá processá-lo por causa das afirmações feitas. O presidente também reclamou do perdão judicial que o empresário conseguiu na delação premiada.

Na mesma entrevista à Época, Joesley também reclamou das acusações sobre ter ficado rico por usufruir desse sistema de corrupção. Ao ser questionado sobre a situação, ele disse que a empresa já era a maior do setor de carnes em 2000, antes da entrada do PT no Governo Federal, pontapé para o esquema.

Contudo, ele admitiu que foi neste período que a empresa conseguiu assumir a liderança mundial do setor. A empresa foi beneficiada com, além de ações governamentais, vultuosos empréstimos com condições especiais, realizados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Tais injeções foram essenciais para a guinada da empresa.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE