Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
20 de Outubro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Comerciante fica com camisa rifada do Corumbaense para ajudar criança

Ricardo Albertoni em 17 de Junho de 2017

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Rogério Gimenez Ibarra, acabou ficando com o prêmio por ter escolhido o número 092

A camisa doada pelo atacante João Carlos Garcia de Carvalho, mais conhecido como Kakalo, autografada pelos jogadores campeões estaduais 2017 pelo Corumbaense para ajudar pequeno Samuel Delmão Paixão, já tem um dono. O ganhador foi Rogério Gimenez Ibarra, que acabou ficando com o prêmio por ter escolhido o número 092, últimos três dígitos do segundo sorteio da Loteria Federal, que aconteceu no último dia 14. Como o número 632, que saiu no primeiro prêmio não havia sido vendido, o segundo sorteio foi o vencedor.

Embora o valor tenha sido abaixo do previsto, o dinheiro  arrecadado com a rifa, de acordo com Odiney, pai de Samuel, foi importante, já que superou as ofertas para compra da lembrança que recebeu no princípio. Com o primeiro ano completado no último dia 12, Samuel, que tem uma doença rara, já está apto para realizar uma das cirurgias que precisa. O dinheiro que foi guardado será utilizado para esse fim.

“Tinham me oferecido um valor pela camisa, mas o que arrecadamos com a rifa acabou dando quase três vezes o que tinham oferecido. Valeu muito a pena, porque vamos usar o dinheiro na viagem para uma cirurgia que ele precisa fazer em São Paulo. Vai ajudar no transporte, na hospedagem entre outros custos”, afirmou Odiney ao Diário Corumbaense.

A família recebeu doação de pisos, cimento e tijolos para readequação da residência

Nesse período, a  família recebeu muitas doações. Uma delas, de pisos, cimento e tijolo para readequação da residência. Odiney também foi procurado pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Corumbá. “O Município nos procurou através do CRAS. A situação aos poucos está se encaminhando. Recebemos também de algumas pessoas doações de materiais de construção para reforma da casa, para oferecer um ambiente mais saudável e seguro para o Samuel. Eu agradeço muito os jogadores, a comissão técnica do Corumbaense e todas as pessoas que ligaram e participaram. Vendi a rifa percorrendo as ruas e muita gente me ajudou. Muitos tentavam nos ajudar de alguma forma. A ajuda veio de quem a gente menos esperava”, lembrou.

Agora, a camisa vai ter um tratamento especial. De acordo com o ganhador, que é proprietário de uma loja de açaí na rua Porto Carrero, ela será emoldurada e ficará exposta na loja. Ao Diário, Rogério disse nunca ter tido sorte em sorteios e falou da satisfação em ter participado da ação. “A gente fica muito alegre em ajudar. Sabemos que é muito difícil essa questão de saúde, então é o mínimo que podemos fazer. A camiseta veio em hora excelente, vou colocá-la em nossa loja de açaí pra todo mundo ver”, disse Rogério.

De acordo com Rogério (à direita), que é proprietário de uma empresa de açaí na rua Porto Carrero, a camisa será emoldurada e ficará exposta na loja

Ele, que acompanhou o time durante o Estadual deste ano e chegou até a viajar para ver os jogos do Carijó da Avenida fora de casa, brincou antes do resultado com o doador da camisa, que levaria o uniforme para casa. “Minha esposa e eu acompanhamos o campeonato e quando dava íamos para Campo Grande ver os jogos. Participamos até na final, quando passamos sufoco, mas estávamos lá. Fiquei muito alegre, conheço o Kakalo, é amigo de bairro e cheguei até a parabenizá-lo pela atitude. Ainda brinquei com ele dizendo que ganharia a camiseta e ganhei mesmo”, finalizou.

Relembre a história

O bebê Samuel Delmão Paixão, de 1 ano, nasceu com uma doença rara, conhecida como síndrome de Prune-Belly, ou ainda, síndrome do abdômen de ameixa seca, por causa do aspecto enrugado, característico da parede abdominal dos recém-nascidos. A malformação congênita envolve ausência ou deficiência da musculatura abdominal; o não desenvolvimento testicular; expansão anormal da bexiga em associação com problemas no trato urinário superior.

Além das deficiências acarretadas pela doença, Samuel tem alergia a lactose, não pode comer ou beber nada que não seja indicado pela nutricionista. Somente o leite, específico custa cerca de R$ 74 a lata. São consumidas aproximadamente duas latas por mês. Algumas vezes, Odiney conta com a ajuda dos colegas de trabalho, mas quando o auxílio não vem, o dinheiro do salário e dos trabalhos que faz por fora são a única salvação.

De acordo com Odiney, os custos entre alimentação e medicação para Samuel chegam a cerca de R$ 540 por mês, mais de 40% do salário do pai de família, que é funcionário da Santa Casa de Corumbá no período noturno e complementa renda com trabalhos que realiza durante as folgas como pintor e pedreiro.

Sabendo da luta da família, um dos jogadores do elenco campeão estadual pelo Corumbaense, o atacante Kakalo, doou uma camisa autografada pelos jogadores. A ideia inicial era realizar um leilão, porém, a procura foi grande e pensando no melhor para Samuel, eles decidiram pela rifa. O sorteio pela Loteria Federal aconteceu no dia 14 de junho.

Interessados em ajudar o Samuel podem ligar para os telefone: (67) 9 9843-2511 ou (67) 9 9800-5604, ou ainda procurar o Odiney, na Santa Casa de Corumbá.

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE