Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
17 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Sete perde jogo para o Operário, vaga na Copa Verde e reclama da arbitragem

Da Redação em 03 de Maio de 2017

Franz Mendes

Operário e Sete jogaram pela terceira posição do Campeonato Estadual

Terminou o Campeonato Estadual para Operário e Sete de Dourados na noite desta terça-feira com a disputa do terceiro lugar. No Estádio Morenão, o Galo venceu por 2 a 1, resultado que precisava para garantir a posição e vaga na Copa Verde 2018, competição que os dois clubes disputaram neste ano, e que coloca o campeão nas oitavas de final da Copa do Brasil. O time douradense, campeão estadual de 2016, deixou o campo reclamando da atuação do árbitro Renan Novaes Insabralde.

Operário e Sete entraram para o segundo confronto cheios de desfalques, por suspensão ou contusões, mas assim como no jogo de ida, em Dourados, o Operário começou mandando no jogo e não demorou a marcar. Aos sete minutos, em uma cobrança de falta frontal, Rodrigo Grahl rolou para o zagueiro Bruno Éverton, ex-Sete, bater forte e vencer Wendell. O gol não assustou o Sete que teve três chances de empatar, mas só conseguiu aos 20 minutos em uma falha adversária. Da Silva atrasou mal e a bola ficou limpa para Daniel. O atacante do Sete invadiu a área e tocou na saída de Guilherme para marcar o gol douradense no primeiro tempo.

Depois do empate, o Sete ainda perdeu outros dois jogadores. O zagueiro Ramon Baiano foi substituído por Juan ainda com a bola rolando. No intervalo, já nos vestiários, o meia Thiago Mattos não passou bem depois de uma pancada no peito em uma disputa de bola e chegou a pedir atendimento ao Samu. Se recuperou, mas não voltou para o segundo tempo, dando lugar à Mirale.

Com as mudanças, o Sete perdeu força no meio e posse de bola. O Operário, por outro lado, passou a pressionar, mas sem assustar o goleiro Wendell. Mas de tanto manter a bola no ataque o galo acabou marcando o segundo aos 35 minutos. Em uma cobrança de falta rápida, a bola chegou em Rodrigo Grahl que bateu de fora da área, estufando a rede. Após o lance, jogadores do Sete reclamaram da cobrança rápida, justificando que o árbitro havia avisado que a cobrança só aconteceria após autorização, o que não aconteceu. Depois, com o adversário desarrumado, o Operário não teve trabalho para manter a vantagem e a vaga na Copa Verde.

Após o jogo, o técnico Nei César, do Sete, não poupou críticas ao árbitro. "Ele deixou bem claro que só valeria [a cobrança de falta que originou o segundo gol] após autorizar e mesmo assim deixou o lance seguir quando cobraram rápido e saiu o segundo gol. Mas não foi só isso. O Thiago deixou o jogo porque sofreu uma cotovelada do volante e ainda assim levou o cartão amarelo", reclamou em entrevista à Rádio Grande FM.

Para a mesma emissora, o zagueiro Binho seguiu na mesma linha. "Eles não iam marcar o segundo gol se não fosse interferência da arbitragem. Ele [árbitro] marcou a falta, mostrou o apito sinalizando que só valeria o lance após apitar e deixou seguir quando cobraram rápido e a gente estava se organizando", reclamou o jogador.

Do outro lado, o zagueiro Bruno Éverton, campeão pelo Sete em 2016, ressaltou o empenho do time em busca da vitória. "A gente sabia que o gol poderia sair, nós fomos melhores no segundo tempo, tivemos a bola quase o tempo todo e paciência para chegar a vitória", explicou. As informações são do site Gazeta MS

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE