Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
22 de Maio de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Convocado pela seleção brasileira de Karatê, atleta mirim busca patrocínio para sul-americano

Ricardo Albertoni em 25 de Abril de 2017

Fotos: Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense

Júlio César Mendonça Garcia é adepto da modalidade Kata (luta imaginária)

O jovem karateca Júlio César Mendonça Garcia tem tudo para ter um futuro brilhante no esporte. Com apenas 11 anos, adepto da modalidade Kata (luta imaginária), o menino já possui vários títulos e uma trajetória cada vez mais vitoriosa. Nascido na cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul e morando agora em Corumbá, o jovem prodígio acaba de ser convocado para representar o Brasil no Sul-americano que acontece em junho na Bolívia.

Realizando trabalhos na Associação Kumakan de Karatê-do no clube Camala, em Ladário, sob orientação do sensei Alessande Macedo com o objetivo de se preparar fisicamente para as competições, o atleta chama a atenção pela técnica apurada quando entra no tatame.

“É um faixa marrom que já veio pronto. O técnico dele no Rio de Janeiro, sensei Genival Ferreira é excelente e o que a gente vai fazer aqui com ele é só manter o que já apresenta nos campeonatos. Tem algumas coisas que precisam melhorar na parte física porque ele ficou um tempo parado, mas o principal é manter. Ele tem um dom, a modalidade dele é o Kata, tem o dom de assimilar o movimento e conseguir realizá-lo para apresentar na hora da competição”, destacou Macedo.

Atleta realiza trabalhos na Associação Kumakan de Karatê-do no clube Camala, em Ladário, sob orientação do sensei Alessande Macedo

O pai do atleta, Juliano Garcia explicou ao Diário Corumbaense a trajetória do pequeno campeão, que conheceu o karatê aos 4 anos de idade, no Amazonas, para onde o pai havia sido transferido por ser militar. A rapidez com que o menino aprendia os movimentos surpreendeu seu primeiro mentor.

 “O Júlio começou em 2010, ele tinha mais ou menos 4 anos. Foi amor a primeira vista, estávamos caminhando em uma cidade do Amazonas e ele ouviu gritos de um pessoal na academia e fomos lá para conhecer. Conheceu o sensei dele na época e voltamos no outro dia. Ele ficou surpreso com o Júlio pegando os movimentos rapidamente. O que uma pessoa que geralmente demora duas ou três semanas, ele pegava em dois ou três dias”, contou Juliano.

Participante em competições desde os 6 anos de idade, o karateca sempre esteve no pódio. Foi bicampeão brasileiro nacional, tetracampeão brasileiro regional; tem dois títulos internacionais, da Copa Arnold Classic que aconteceu no Rio de Janeiro onde a família também morou e tem três títulos da Copa Internacional Amazônica. É tricampeão carioca, tetracampeão amazonense e esse ano pretende ser campeão sul-mato-grossense. Um currículo de mais de 60 páginas e uma parede cheia de medalhas representam a carreira vitoriosa do atleta.

Mesmo com todas as condições de representar bem o Brasil nas competições, Júlio enfrenta um problema bastante conhecido dos atletas brasileiros: a falta de patrocínio. Após sua convocação, ele precisa confirmar presença no evento até o dia 30 de maio.

Para isso, deve arcar com passagem aérea, hospedagem, translado e seguro viagem. O valor em dólares fica em torno de US$ 880 saindo de São Paulo. Em um orçamento solicitado há alguns dias, com somente hospedagem e translado, foi apresentado um valor de US$ 400 por pessoa. Como mais duas pessoas deverão acompanhar o karateca, a ajuda de um patrocinador é fundamental para a sua participação.

Júlio possui muitas medalhas conquistadas em competições regionais, nacionais e internacionais

“Agora nós dependemos do apoio das pessoas porque nosso filho nunca teve um patrocinador, sempre é o 'paitrocinador', tento fazer o possível para levá-lo até as competições, mas em alguns casos, como esse, não tem como. Ele tem que confirmar a vaga dele até o dia 30 do próximo mês. Se não confirmar tem mais de 50 atletas na fila querendo que ele saia para poder pegar a vaga dele”, afirmou Juliano.

Visibilidade ao patrocinador

Quem decidir apoiar o talento esportivo, não deve ficar apenas no muito obrigado. A partir de 2020, em Tóquio, o karatê fará parte dos jogos olímpicos, oferecendo maior visibilidade aos patrocinadores. De acordo com o pai do atleta, será autorizado o uso de marcas apoiadoras no kimono durante as competições de nível internacional. Nas competições estaduais as marcas poderão ser ainda maiores, inclusive com a possibilidade de estampar banners carregados pelo atleta na hora do pódio.

Pelo fato de ter se tornado um esporte olímpico, canais de televisão transmitirão competições, aumentando o alcance das publicidades. “Como agora é um esporte olímpico, canais de televisão serão obrigados a transmitir algumas competições, então a visibilidade aumenta, virá o retorno ao patrocinador. Isso vai trazer benefício para quem é da seleção brasileira, vai melhorar. Temos que agora investir para poder melhorar lá na frente, pensar no futuro dos atletas”, concluiu Juliano.

Para apoiar Júlio César, os interessados podem ligar para o telefone: (67) 3232-2733. Os números para contato com os pais do atleta através do WhatsApp são: (21) 96563-8692 (Juliano); (21) 96565-5205 (Veridiane). A página no Facebook é: facebook.com/familia.garcia.581. O e-mail da Associação Kumakan de Karatê-do é kumakan.karate@gmail.com.

Depósitos podem ser feitos nas contas do Banco do BrasilAG. 0462-6  C.C 6.606-0 (Juliano F. Garcia e no Bradesco: AG. 2605 C.C 47877-6 (Veridiane Garcia). 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE