Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
30 de Abril de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Após ser atropelada e perder uma pata, cadela é reabilitada e busca novo lar

Ricardo Albertoni em 19 de Abril de 2017

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Antes de ser socorrida, Preciosa ficou dois meses com a pata machucada depois de atropelamento

Durou muito tempo o sofrimento de Preciosa. Por aproximadamente dois meses, a cadelinha sem raça definida, de comportamento dócil e amoroso, sofreu após ser atropelada e ter uma das patas lesionadas gravemente no acidente. Alegando falta de condições financeiras para tratar o animal, ela foi abandonada à própria sorte pelos donos e vagava pelas proximidades da casa onde vivia até ser resgatada pela profissional de saúde Adriana Romão de Oliveira, que soube do caso através de uma colega de trabalho.

“Uma colega de trabalho me falou sobre essa cachorrinha. Explicou que ela tinha dona, só que ela foi atropelada e a mulher por não ter condições financeiras deixou a cachorra solta. Para mantê-la afastada até tocava o animal de perto quando ela se aproximava da casa. Eu fui até lá, mas a cachorrinha não estava lá. Pedi para que a amarrassem para que eu pudesse pegar quando voltasse, o que não foi feito. Então a procurei nas redondezas e quando encontrei e vi o estado dela fiquei chocada”, disse Adriana ao Diário Corumbaense.

Após constatar a gravidade da lesão, Adriana levou Preciosa para a clínica Agrotec, onde foi realizado o procedimento de amputação de parte da pata do animal. A cirurgia ficou em R$ 770. Para arcar com os custos do tratamento, a enfermeira que faz parte de um grupo de apoio aos animais acabou pedindo ajuda dos voluntários em um grupo de WhatsApp. Com recursos próprios, ajuda da clínica que doou R$ 50 mais medicamentos, e de colaboradores, o valor deve ser quitado ainda esta semana. 

“Valéria da ACLAA ajudou fazendo rifas e eu doei R$ 250. Ainda faltam R$ 180, e desse dinheiro a Valéria conseguiu R$ 80. Outra pessoa ficou de doar R$ 100 para a gente finalizar a conta na Agrotec", explicou Adriana ao ressaltar a ajuda de Valéria Almeida, da Associação Corumbaense e Ladarense de Apoio aos Animais.

Adriana cuidou da cachorrinha, mas como já tem oito cães em casa, não vai poder ficar com Preciosa

Com mais oito cães em casa, Adriana não tem condições de ficar com Preciosa, e por isso, após reabilitar a cachorrinha, ela busca um dono para ela. “Preciosa está comigo. Ela é muito boazinha, ótima cachorrinha. Só que além dela, estou dando lar temporário para outros três cachorros e tenho ainda mais seis cães aqui e mais um em Campo Grande. A maioria eu retiro das ruas e coloco para adoção”, contou a enfermeira. O telefone de contato da Adriana é o (67) 9 9929-8499.

Outros cães e gatos esperam por adoção

Ao Diário Corumbaense, Valéria Almeida, secretária da ACLAA informou que assim como Preciosa, vários animais se encontram na mesma situação. Existem muitos voluntários que oferecem lares temporários até que os bichinhos sejam adotados. A ajuda não precisa ser necessariamente em forma de adoção e sim de contribuição com comida e medicamento.

“Estamos com muitos animais para adoção, entre gatos e cães. Eles são adultos e alguns especiais, o que dificulta a adoção. As pessoas que não têm interesse em adotar podem ajudar contribuindo com ração ou medicamentos. Para participar do grupo de voluntários no WhatsApp basta enviar uma mensagem pelo aplicativo para o celular (67) 9 9974-8382. No Facebook, as pessoas podem acompanhar o trabalho no grupo da ACLAA. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE