Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
30 de Abril de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Dourados: vereador é chamado de machista por mandar colega "cuidar de casa"

Campo Grande News em 11 de Abril de 2017

Éder Gonçalves/Divulgação

Daniela Hall promete levar colega ao Conselho de Ética se caso se repetir

O vereador Elias Ishy (PT) foi acusado de agir com machismo contra a presidente da Câmara, Daniela Hall (PSD), durante reunião na segunda-feira (10) na sede do Legislativo de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande.

Na reunião para definir a pauta da sessão ordinária, o petista teria falado para Daniela Hall mandar somente em sua casa. A declaração revoltou a presidente da Câmara, que durante a sessão noturna se emocionou e considerou o caso como assédio moral. Através da assessoria de imprensa, Elias Ishy informou que pediu desculpas à colega de Legislativo.

O episódio

Durante a sessão, algumas horas após o ocorrido, Daniela Hall (PSD) desabafou e chamou o caso de assédio moral e de machismo por parte de Elias Ishy. A vereadora afirmou que se o problema se repetir vai denunciar o colega ao Conselho de Ética. “Eu disse ao nobre colega que minhas atribuições como vereadora me permitem muito além do que isto e exijo respeito”, afirmou Daniela. “Cuido da minha casa, cuido da Casa daqueles que me elegeram e quero cuidar de Dourados”.

Ela prometeu denunciar e combater casos semelhantes. Daniela afirmou que Elias Ishy deveria “honrar as mulheres que o elegeram e todas as outras da cidade, que não aguentam mais o machismo”. “As mulheres são ofendidas, humilhadas, tratadas como subalternas e têm seus direitos negados pelos homens”, afirmou ela sobre casos diários de machismo a que as mulheres são expostas.

“Primeiro resolvi ser advogada, depois esposa, depois mãe, vereadora e depois presidente eleita por esta casa”, disse Daniela.

Divulgação

Ishy admitiu caso e disse que pediu desculpas

Vereador se explica 

Em nota encaminhada ao Campo Grande News pela assessoria de imprensa, Elias Ishy disse que sempre teve postura “de muito respeito”, ainda mais pelas mulheres. Ele afirmou ainda que pediu desculpas à presidente da Câmara caso tenha se sentido mal. “Em nenhum momento ele foi desrespeitoso, apenas cobrando o seu direito de fala”, afirma a assessoria.

Ainda conforme a assessoria, Elias Ishy tem histórico de luta em defesa das mulheres e defende uma maior representatividade feminina nas Câmaras.

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE