Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
17 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Audiência pública discute hoje infraestrutura e segurança nas pontes sobre o rio Paraguai

Da Redação em 07 de Abril de 2017

Infraestrutura e segurança das pontes do rio Paraguai serão temas de debate nesta sexta-feira, 07 de abril, durante audiência pública no plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Corumbá, a partir das 15 horas. A audiência é uma inciativa do vereador Domingos Albaneze Neto (PV) e vai reunir autoridades dos mais diferentes segmentos da sociedade que poderão debater questões importantes relacionadas às pontes sobre o rio Paraguai existentes na região do Morrinho, rodoviária; de Porto Esperança, ferroviária, como também a existente na área urbana de Corumbá, da captação de água bruta, no Canal do Tamengo.

Segundo o vereador, este evento possibilitará um amplo debate sobre as situações dessas pontes para buscar soluções para os problemas já existentes, bem como prevenir futuros desastres que possam causar sérios transtornos à população pantaneira.

A audiência contará com as presenças de vereadores além de representantes da Marinha do Brasil, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/MS), secretarias de Meio Ambiente e Infraestrutura, prefeituras de Corumbá e Ladário, armadores, além de deputados estaduais e federais.

Entre as questões que serão debatidas está a necessidade da reconstrução do dolfin na ponte da BR-262, principal acesso por terra a outras regiões do País. Um acidente ocorrido anos atrás, causou sérios problemas à estrutura da ponte e há necessidade de reconstruir o dispositivo de segurança que protege os pilares de colisões. Como isso não ocorreu, em outro acidente mais recente, o choque foi direto com os pilares, causando problemas na estrutura da ponte que chegou a ser interditada.

Outra questão está na região urbana, na ponte da captação de água, principal acesso à Bolívia, pelo rio. Domingos diz que é preciso pensar um projeto, executar as obras necessárias, para evitar desastres antes que aconteça um acidente grave, o que poderia interromper a captação de água bruta, deixando toda a cidade sem água potável. Com informações da assessoria de comunicação da PMC

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE