Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
16 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Cientistas identificam 150 pegadas de 21 espécies de dinossauros na Austrália

Agência Brasil/EFE em 27 de Março de 2017

Steven W. Salisbury/EFE

Cientistas criam molde de silicone na pegada de um dinossauro

Um grupo de cientistas identificou 150 pegadas de 21 espécies de dinossauros em uma área do noroeste da Austrália, anunciou hoje (27) a Universidade de Queensland. A nota afirma tratar-se de uma descoberta "sem precedentes". As informações são da agência EFE. As pegadas correspondem a dez espécies da classe dos sauropsidas (quatro de Ornitópodes), seis de gliptodonte e cinco de dinossauros predadores, detalha uma nota de imprensa.

A variedade das marcas não tem precedentes no mundo, segundo o cientista australiano Steve Salisbury, que dirige o estudo sobre o achado publicado na Memoir of the Society of Vertebrate Paleontology 2016.

"Entre as pegadas está a única prova confirmada de um estegossauro na Austrália. Além disso, há algumas dos dinossauros maiores registrados. Algumas das marcas dos saurópodes têm 1,7 metro de comprimento", especificou o biólogo e geólogo da Universidade de Queensland em comunicado.

Salisbury afirmou que a descoberta "é extremamente importante porque representa o primeiro registro de dinossauros não-aviários na metade ocidental do continente e é a única marca da fauna de dinossauros da Austrália durante a primeira metade do [período] Cretáceo inferior".

As pegadas se encontram em uma zona rochosa, que tem entre 127 e 140 milhões de anos de antiguidade, situada em Walmadany, uma região do estado da Austrália Ocidental que contém milhares de marcas de dinossauros e que foi incluída no Patrimônio Nacional da Austrália em 2011.

As 150 pegadas identificadas são mais antigas que a maioria dos fósseis de dinossauros descobertos na parte oriental da Austrália e calcula-se que têm uma antiguidade de 90 a 115 milhões de anos, segundo o comunicado da Universidade de Queensland.

O povo aborígine Golarabooloo, habitante tradicional de Walmadany, pediu a Salisbury e sua equipe que investigassem os rastros depois que o governo selecionou a zona para construir instalações de processamento de gás natural liquefeito. As pegadas de dinossauros aparecem nas canções dos Goolarabooloo sobre o criador Marala, também conhecido como homem emu, que entregou a este povo suas leis.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE