Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Abril de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Bairro Guató recebe mutirão de combate ao Aedes aegypti amanhã

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 17 de Março de 2017

O combate ao mosquito Aedes aegypti, causador da dengue, zika vírus, chikungunya e da febre amarela, continua sendo realizado de forma intensa pela Prefeitura de Corumbá. Nesta sexta-feira, 17 de março, um grande mutirão de conscientização e eliminação de focos aconteceu no bairro Cristo Redentor.

Aproximadamente 25 pessoas, incluindo servidores da Secretaria Municipal de Saúde, da Fundação do Meio Ambiente e do Exército, estiveram envolvidas no trabalho coordenado pela Gerência de Vigilância em Saúde. De acordo com o último LIRAa (Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti), o índice de infestação no bairro é de 5,88%.

No sábado, 18, o mutirão estará concentrado no bairro Guató, onde foi identificado o maior índice de toda a cidade: 17,07%. De acordo com o Ministério da Saúde, a porcentagem considerada satisfatória deve ser menor que 1%. As equipes partem do CRAS, às 07h30, e vão percorrer as principais ruas da região fazendo a coleta de resíduos e a conscientização dos moradores.

Boletim epidemiológico 

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou nesta sexta-feira o segundo Boletim Epidemiológico da Vigilância em Saúde. Os dados são referentes ao período de 5 a 11 de março. O objetivo do trabalho é apresentar o panorama da doença no período analisado, sendo um instrumento de auxílio para a elaboração de estratégias, ações e interlocuções entre as equipes técnicas.

Dengue

Até a semana 10 de 2017 foram notificados 130 casos suspeitos de dengue em Corumbá, sendo que dois foram confirmados no bairro Aeroporto, um no bairro Dom Bosco e um no Centro. Nos dias 06, 07, 08 e 09 de Março de 2017, foi realizado o segundo LIRAa, apresentando um índice de 5, 7%, que é considerado pelo Ministério da Saúde uma situação de risco. Estes dados são utilizados como referencia para elaboração de planos para o combate ao vetor transmissor.

Zika

Até o período analisado, foram notificados 18 casos suspeitos na cidade: Aeroporto (07), Centro (03), Guanã (2), Dom Bosco (1), Cristo Redentor (1), Maria Leite (1), Cervejaria (1), um caso notificado de paciente em trânsito e um caso foi confirmado no bairro Nova Corumbá. A zika é uma doença viral aguda, transmitida principalmente pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus.

Ela é caracterizada por exantema maculopapular pruriginoso, febre intermitente, hiperemia conjuntival não purulenta e sem prurido, artralgia, mialgia e dor de cabeça. A maior parte dos casos apresentam evolução benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente após 3 ou 7 dias.

Chikungunya

A Chikungunya é uma arbovirose causada pelo vírus chikungunya. A transmissão se dá através da picada de fêmeas dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus infectadas pelo CHIKV. Casos de transmissão vertical podem ocorrer e, muitas vezes, provocam infecção neonatal grave.

Até a semana epidemiológica 10, foram notificados 07 casos de chikungunya no município: Centro (02), Aeroporto (02), Dom Bosco (01), Jardim dos estados (1), Conjunto Primavera (01), sendo que apenas um caso foi confirmado no bairro Jardim dos Estados.

Leishmaniose

Até o dia 10 de março foram confirmados cinco casos de leishmaniose visceral nos bairros Jardim dos Estados, Jardinzinho, Maria Leite e Previsul e Dom Bosco. A doença era, primariamente, uma zoonose caracterizada como doença de caráter eminentemente rural. Mais recentemente, vem se expandindo para áreas urbanas de médio e grande porte e se tornou crescente problema de saúde pública no País.

É uma doença sistêmica, caracterizada por febre de longa duração, perda de peso, astenia, adinamia e anemia, dentre outras manifestações. Quando não tratada, pode evoluir para óbito em mais de 90% dos casos. No Brasil, a forma de transmissão é através da picada dos vetores Lutzomyia longipalpis, ou Lutzomyia cruzi, conhecidos popularmente por “mosquito palha”.

H1N1

Até o momento em Corumbá foram confirmados por laboratório seis casos de H3 sazonal e um caso de H3 sazonal por vínculo epidemiológico. Foram 40 casos notificados desde o início do ano e apenas um ainda aguarda resultado laboratorial. A influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada.

Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, dor muscular e perda de apetite, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.

Algumas pessoas, como idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à influenza. A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza.

Doenças Diarreicas Agudas

A diarréia aguda é uma síndrome clínica de diversas etiologias que se caracteriza por alterações do volume, consistência e freqüência das fezes, mais freqüentemente associada com a liquidez das fezes e o aumento no número de evacuações. Com grande frequência costuma ser acompanhada de vômitos, febre, cólicas e dor abdominal.  

Algumas vezes pode apresentar muco e sangue (disenteria). Em geral é auto-limitada, isto é, tende à cura espontaneamente, com duração entre 2 a 14 dias, e sua gravidade depende da presença e intensidade da desidratação ou do tipo de toxina produzida pelo patógeno que provocar outras síndromes.

Até a semana analisada, foram registrados 730 de doenças diarreicas agudas em Corumbá. Destes 44 casos ocorreram em crianças menores de 1 ano, 148 em crianças de 1 a 4 anos, 64 casos em criança de 5 a 9 anos e 391 casos em crianças com mais de 10 anos.

Ações

Várias ações foram realizadas pela Prefeitura durante o período com base nos casos notificados, confirmados e no Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti, inclusive a elaboração do plano de ação pós LIRAa com base nos resultados obtidos, com o objetivo de bloquear a dispersão do vetor, diminuir índice de infestação predial, conter o aumento de notificações e evitar óbitos.

Também foi feito bloqueio mecânico dos casos notificados nos bairros Cervejaria, Centro e Universitário, com a retirada e de materiais que possam favorecer a reprodução do Aedes aegypti e de flebotomíneos. Foi realizado ainda bloqueio químico com a bomba costal em 882 imóveis e bloqueio químico com UBV pesado (fumacê) em 682 quarteirões. 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE