Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
22 de Outubro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Após um ano e meio da eleição, toma posse nova diretoria do SIMTED de Corumbá

Caline Galvão em 09 de Março de 2017

Depois de um ano e sete meses da eleição, a nova diretoria do Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (SIMTED) de Corumbá será empossada na noite desta quinta-feira (09). O processo eleitoral foi suspenso por decisão judicial durante um ano e seis meses. Nesse período, a diretoria que estava gerindo o órgão na época da votação, presidida por Luizio Espinoza, permaneceu à frente do sindicato. Raquel Guimarães do Prado, vencedora da eleição realizada no dia 04 de agosto de 2015, permanecerá no cargo até dia 09 de março de 2021, para cumprir o mandato de quatro anos. Ao lado dela, a vice-presidente Edinéia do Nascimento Franca, também comandará o sindicato com mais 18 membros da diretoria. Elas venceram as eleições na chapa 1, intitulada “Um sindicato de luta e independente”, obtendo 266 votos.

Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense

Raquel Guimarães deve iniciar seu mandato, com duração de quatro anos, nesta quinta-feira

A nova presidente explicou ao Diário Corumbaense o porquê de tanta demora em assumir o cargo. “No dia da eleição, uma filiada entrou com uma ação na Justiça porque ela queria ser a presidente da comissão eleitoral e a juíza na época mandou, como já estávamos contando os votos, que nós não divulgássemos e nem homologássemos o resultado da eleição, ou seja, a eleição estava judicializada. Diante dessa situação, não pudemos fazer nada. A comissão eleitoral terminou de contar os votos, fez uma ata, mas o resultado não pôde ser homologado e nem divulgado”, esclareceu Raquel Guimarães.

Há 36 anos atuando na rede estadual de ensino, Raquel já havia anteriormente participado da diretoria da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS) como vice-presidente regional, representando os docentes de Corumbá por três anos. Pedagoga e pós-graduada em psicopedagogia, lotada na Escola Estadual Carlos de Castro Brasil, a professora, de 54 anos, será afastada das funções escolares para presidir o sindicato.

O plano da nova diretoria divulgado na época da eleição deverá ser posto em prática, conforme Raquel. “O primordial vai ser a carta sindical, que nós ainda não temos, que será nossa primeira ação, e que nosso sindicato volte a fazer a luta do trabalhador, voltar a respeitar as decisões tomadas em assembleias que são soberanas. Nossas decisões serão tomadas em assembleias e serão respeitadas pela diretoria do sindicato”, afirmou a docente.

Depois da carta sindical, surgiu agora uma necessidade mais urgente, que é a luta contra a reforma da previdência, que está sendo proposta pelo Governo Federal e retira o direito da aposentadoria especial dos professores. “Nós vamos ter que lutar muito para que esse processo não seja aprovado porque vai ser a morte de todo trabalhador porque ninguém vai conseguir se aposentar. Se começar a trabalhar aos 16 anos, a pessoa se aposenta só aos 70 anos, pela proposta, então, nossa luta maior agora é contra esse projeto de aposentadoria que o Governo Federal está propondo para a população, essa seria nossa meta principal agora”, afirmou Raquel.

Durante sua gestão, o Estatuto do Magistério será revisto, como também a lei que trata do setor administrativo e haverá implementação do plano de cargos e carreira da rede municipal de ensino. “O papel do sindicato é fazer com que o trabalhador garanta os seus direitos porque nada é dado de graça, tudo a gente conquista”, disse Raquel.

A professora relatou que como o processo eleitoral passou muito tempo judicializado, muitos docentes se desfiliaram do sindicato e a nova diretoria tem a missão de trazer esses trabalhadores de volta ao SIMTED de Corumbá. “Como esse processo na Justiça demorou muito, muitos de nossos filiados se desfiliaram, então, nós vamos percorrer agora as escolas, vamos colocar para eles que quem luta pelo direito do trabalhador é o sindicato, então vamos fazer um trabalho de conscientização com esses trabalhadores para que eles voltem a se filiar”, concluiu Raquel Guimarães. Ao SIMTED podem se filiar profissionais da educação da rede municipal e estadual de ensino.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE