Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
16 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Prefeitura de Ladário estuda cortes no quadro funcional e diminuição de secretarias

Caline Galvão em 06 de Março de 2017

Por causa da baixa arrecadação do município de Ladário, o prefeito Carlos Ruso (PSDB) instituiu comissão que deve levantar a situação detalhada de cada secretaria e fundações. A intenção é adequar a administração pública à capacidade de suporte que ela realmente pode oferecer nos próximos anos. Para tanto, haverá cortes de servidores contratados, fusões ou extinção de secretarias e fundações, e reestruturação do organograma municipal. De acordo com informações da comissão, Ladário precisaria arrecadar cerca de um milhão de reais a mais do que tem arrecadado atualmente para ter um bom desenvolvimento.

A comissão que vai avaliar a situação do município é composta pelo chefe de gabinete do prefeito, Hélder Botelho; pela secretária de Assistência Social, Andressa Paraquett e por dois funcionários de carreira: o presidente do Conselho Municipal de Educação, professor Raimundo Pinheiro dos Santos Neto e a superintendente da Secretaria de Finanças e Planejamento, Norma Lucy de Mello. 

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Comissão deverá avaliar situação do quadro funcional de cada secretaria e fundação

Durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (06), Hélder Botelho, chefe da comissão, explicou que a comissão já tomou duas linhas de ação. A primeira delas é que todos os secretários vão informar qual o quadro funcional das secretarias que estão gerindo, quanto há de efetivos e comissionados, e o quanto isso reflete no impacto financeiro para cada secretaria. Depois disso, será analisada a função de cada servidor para avaliar se as atividades podem ser realizadas por menos funcionários. Outro objetivo é avaliar a necessidade de todas as secretarias e fundações, podendo haver fusões ou extinções.

“Há dois objetivos: reduzir os custos com a máquina pública, no sentido do quadro funcional, de servidores tanto efetivos quanto contratados, e, em segunda análise, é  economizar, porém, não perder a eficiência da gestão pública”, afirmou Botelho. Ele destacou que a administração municipal já está contemplando aqueles que passaram no último concurso realizado pelo município. Segundo ele, em fevereiro foram convocados três deles.  “A ideia também é elaborar estrutura administrativa que possa vigorar não só na atual administração municipal, mas que possa servir de parâmetro para outras”, completou o chefe de gabinete do prefeito.

Prefeitura trabalha com projetos para que possa arrecadar mais

De acordo com Andressa Paraquett, também da comissão, tudo o que está sendo realizado tem apoio do Governo do Estado. “A gente está trabalhando em conjunto com a Semad e Segov (Administração e Governo) e outros órgãos do Estado, inclusive, eles são nossos conselheiros nesse processo de reforma. Essa modelagem de reforma administrativa vem sendo aconselhada por esses entes do Estado”, afirmou Andressa.

Com relação a questões de desenvolvimento, ela afirmou que o município já está trazendo algumas inovações, a fim de ampliar a arrecadação e fomentar o crescimento da cidade. “Já estamos trazendo o licenciamento ambiental, por exemplo, que é uma excelente fonte de arrecadação e que o município não fazia. Nós temos, em vias de lei, a possibilidade de fazê-lo autonomamente. Além disso, junto à Semad e à Secretaria Municipal de Fomento, estamos com plano de desenvolvimento de várias ações nesse sentido. O Clube de Empreendedorismo de Ladário, estabelecido pelo prefeito, hoje é uma realidade. Nós terminamos a primeira etapa de formação de pessoas para geração de renda, agora estamos começando a segunda com hortas comunitárias, com apoio da Agraer. As ações de desenvolvimento estão na primeira linha de ação do prefeito, mas não há como promover desenvolvimento com máquina pública que drena todo o dinheiro que entra. Nós precisamos organizar isso”, reiterou Andressa Paraquett.

Prefeito Carlos Ruso afirmou que projetos de desenvolvimento econômico já estão sendo realizados no município

A servidora de carreira Norma Lucy de Mello, superintendente da Secretaria de Finanças e Planejamento, afirmou que hoje a arrecadação de Ladário é de R$ 3,8 milhões mensais, mas o ideal para o município ter um bom desenvolvimento seria de pelo menos R$ 4,5 milhões até R$ 5 milhões. O quadro de funcionários contratados hoje é de 189 pessoas e a comissão ainda não sabe quantos poderão ser cortados. O grupo tem prazo de seis meses para elaboração do projeto de austeridade para que possa ser encaminhado ao prefeito e, por fim, à Câmara dos Vereadores, onde será votado. Reduções salariais já foram efetivadas no município.

Promessas de campanha esbarram na situação econômica atual

O prefeito Carlos Ruso afirmou que algumas promessas de campanha como a implementação do Porto Ecológico de Ladário dependem de uma situação financeira melhor e de decreto do Governo do Estado. Quanto à termoelétrica, ela depende exclusivamente dos leilões que vão ser realizados na venda da energia e depois o leilão da compra do gás na Bolívia. Ele frisou também que por causa da desvalorização do minério de ferro, a arrecadação relativa ao produto está praticamente zerada em Ladário.

“A sorte não está muito ao nosso lado porque nesses últimos seis meses, com o excesso de chuva, as termoelétricas estão trabalhando com sua capacidade total e com evasão de água. Nós acreditamos que nesse período de dois, três anos, poderemos talvez iniciar a planta da construção da termoelétrica em Ladário. Nós estamos criando também o Clube de Empreendedorismo e já fizemos laboratório no próprio carnaval. Ainda será apresentado pelo Fomento o que realmente sucedeu com os barraqueiros, o que eles ganharam, qual foi o prejuízo e lucro para trabalharmos em cima disso semanalmente. Esse clube vai trabalhar justamente para a população conseguir gerar renda”, afirmou Ruso.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE