Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
27 de Abril de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Ruso nomeia comissão que vai preparar projeto da reforma administrativa

Da Redação em 22 de Fevereiro de 2017

Nomeada pelo prefeito Carlos Ruso a comissão que vai tratar da Reforma Administrativa, que tem por objetivo, reduzir os custos da máquina e melhorar o atendimento ao cidadão ladarense. No decreto, assinado no dia 20 de fevereiro, o prefeito destaca que “o objetivo é propor aos órgãos competentes, medidas para promover a eficiência da gestão pública e reduzir custos”.

Desde que assumiu a prefeitura, Ruso vem falando em promover essa reforma para dar mais agilidade ao sistema administrativo, promover a desburocratização e atender, de forma eficaz, a população. O decreto determina que a comissão, terá seis meses para apresentar um projeto ao Legislativo que terá que analisar e votar a proposta.

“Nós devemos nos reunir no dia 02, logo após o carnaval. Na primeira reunião, vamos definir o presidente da comissão, o plano de trabalho, e organizar as datas das reuniões”, disse o chefe de gabinete Hélder Botelho, um dos membros do grupo que é composto, além dele, pela secretária de Assistência Social, Andressa Paraquett; pela superintendente da Secretaria de Finanças e Planejamento, Norma Lucy de Mello; e pelo professor Raimundo Pinheiro dos Santos Neto.

A partir daí a comissão começará o processo de coleta de informações para definir as mudanças que serão feitas. “Vamos solicitar de todos os secretários, um levantamento do quadro de funcionários efetivos, comissionados e contratados. Vamos pedir um “raio-x” do funcionamento de cada secretaria”, explicou Hélder.

O decreto estabelece que seja feita uma “relação descritiva dos cargos e funções, e respectivas atribuições a fim de evitar redundâncias e sobreposição de competência”. Isso significa que o prefeito pretende enxugar cargos e funções, para diminuir as despesas com a folha de pagamento.

Também existe a possibilidade de extinção ou fusão de secretarias e fundações, uma tendência que vem se instalando nas governadorias e prefeituras de todo o país, devido à crise econômica pela qual o Brasil está passando.  

“No final a ideia é enxugar a máquina administrativa, com dois objetivos, diminuir os gastos da administração pública, tanto de pessoal quanto com manutenção; e dar eficiência ao serviço público, aquele que é prestado ao munícipe”, esclareceu Botelho.  As informações são da Assessoria de Imprensa da PML.

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE