Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
25 de Junho de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Bandidos diversificam ações e sequestram fazendeiro na fronteira

Campo Grande News em 09 de Fevereiro de 2017

ABC Color

Alexander (de camiseta vermelha) com policiais que o encontraram na mata, na madrugada de hoje

O filho de um fazendeiro da zona rural de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande, foi resgatado na madrugada desta quinta-feira (09) após ser sequestrado por bandidos que invadiram a fazenda da família na tarde de ontem. A quadrilha exigia o pagamento de 200 mil dólares, mas depois baixou o resgate para 10% do valor inicial.

Integrantes da Polícia Nacional do Paraguai que participaram do resgate afirmam que existem suspeitas do envolvimento de membros de facções criminosas brasileiras que atuam na fronteira. As quadrilhas dominam o comércio de drogas e crimes de pistolagem na Linha Internacional.

De acordo com o jornal ABC Color, o resgate ocorreu por volta de 04h30 de hoje na colônia Lorito Picada. Alexander Hector Nunez, filho do fazendeiro Hector Nunez, foi resgatado na mata e até agora os bandidos não foram localizados. Conforme a polícia, os bandidos invadiram a fazenda e fizeram o pecuarista, o filho e os funcionários como reféns. Como Hector alegou que não tinha os 200 mil dólares, os sequestradores concordaram em baixar o valor para 60 mil dólares.

O pecuarista foi libertado para ir até o centro comercial de Pedro Juan Caballero para sacar o dinheiro enquanto o filho e os funcionários eram mantidos sob a mira de armas na propriedade. A negociação para pagamento do resgate era feita sem o conhecimento da polícia. Quando os policiais ficaram sabendo do sequestro, cercaram a fazenda e os bandidos fugiram levando Alexander como refém e pelo menos três fuzis automáticos que estavam na fazenda.

A promotora paraguaia Katia Uemura disse hoje que diante do cerco os bandidos fugiram e abandonaram o refém em uma colina, no meio da mata. Alexander caminhou por horas até ser encontrado sujo e com as roupas rasgadas. Segundo ela, Alexander contou que eram cinco bandidos e o plano deles era levá-lo para Ciudad del Este, na fronteira com o Paraná, ou Capitán Bado, onde seria mantido até o pagamento do resgate. A promotora disse que o pai do rapaz pagou 10 mil dólares e havia prometido conseguir mais dinheiro hoje de manhã.

O comissário Juan Alonso, da Polícia Nacional, suspeita que entre os bandidos tinha alguém que era conhecido da família. Dos cinco criminosos, apenas um usava capuz. “Eles sabiam que o fazendeiro tinha vendido uma propriedade”, afirmou.

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE