Menu
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Além da agência dos presídios, Segurança muda comando da PM

Campo Grande News em 08 de Fevereiro de 2017

A segurança pública de Mato Grosso do Sul passará por mudanças no primeiro escalão de comando nos próximos dias. A Sejusp (Secretaria Estadual da Justiça e Segurança Pública) irá anunciar nesta quarta-feira (08), o substituto de Ailton Stropa Garcia, diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual da Administração Penitenciária).

Já para a semana que vem, está prevista a nomeação de um novo comandante-geral para a Polícia Militar, que irá substituir o coronel Jorge Edgard Júdice Teixeira.

Segundo apurou o Campo Grande News, Aud de Oliveira Chaves, atual chefe do Núcleo de Transportes da Agepen, é o escolhido de uma lista com pelo menos outros três nomes do alto escalão recomendados por Stropa.

Chaves está há 16 anos na Agepen. É formado em Tecnologia em Segurança do Trabalho, com pós-graduação em Gerenciamento Crises no Sistema Prisional, e atuou grande parte da carreira como diretor-adjunto do IPCG (Instituto Penal de Campo Grande).

Já quem deve assumir o comando da PM na semana que vem é o atual comandante do policiamento Metropolitano, coronel Waldir Pereira Acosta, que na tarde de terça-feira (07), já era parabenizado pelo novo cargo em grupos do WhatsApp. No entanto, por telefone, informou que a confirmação de sua nomeação para o cargo ocorrerá no dia 16, e que por formalidade não poderia comentar a informação.

Procurado, o secretário de segurança, José Carlos Barbosa, apenas reafirmou que um dos anúncios será feito nesta quarta-feira (08).

Já Stropa desconversa sobre seu sucessor. "Esse é um assunto decidido unicamente pelo secretário e o governador Azambuja (Reinaldo, PSDB)", disse o ex-juiz. "A transição (do cargo) está tranquila e andando normalmente no seu dia a dia", completou.

O comandante da PM não foi encontrado para se manifestar sobre sua substituição.

Agepen

Segundo fontes da Agepen, Chaves seria um dos braços direitos de Stropa, conselheiro e influente no meio dos agentes penitenciários. Teria sido orientação do ex-juiz promover um funcionário próprio da pasta.

Em reuniões com o secretário José Carlos Barbosa, acertaram que num momento de crise nacional e rebeliões que deixaram mais de 130 mortos, quatro no Estado, o ideal seria evitar mudanças bruscas na sucessão, que podem agravar a relativa calmaria atual nas prisões.

Stropa decidiu deixar a presidência da autarquia no início do mês, após ser alvo da Operação Girve do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que investiga crimes de corrupção na Agepen.

Investigação do Ministério Público de Mato Grosso do Sul apontou crimes como peculato, falsidade documentação e corrupção envolvendo a contratação de um curso de especialização para os agentes penitenciários. O ex-juiz se diz inocente e que não há irregularidades.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE