Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Maio de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Governo de MS pedirá a Temer reforço da Força Nacional em áreas de fronteira

Campo Grande News em 17 de Janeiro de 2017

A governadora em exercício de Mato Grosso do Sul, Rose Modesto (PSDB), vai apresentar nesta quarta-feira (18) um projeto para aumento da fiscalização da fronteira, em encontro com o presidente Michel Temer (PMDB), em Brasília (DF).

Durante entrevista na manhã desta terça-feira (17), Rose disse que pedirá aumento no número de agentes da Força Nacional de Segurança em pontos específicos das fronteiras com Paraguai e Bolívia considerados vulneráveis em levantamento feito pela Sujesp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública).

“Os recursos que o governo (federal) gastará tenho certeza de que serão mais vantajosos do que as armas e drogas que entram no País. O custo-benefício valerá a pena”, disse a governadora em exercício.

Rose assinará junto dos outros governadores um Plano Nacional de Segurança Pública elaborado pelo Ministério da Justiça e Cidadania e que será implantado e anunciado nesta quarta-feira por Temer. O objetivo é reduzir os danos do embate entre facções criminosas rivais e a conseqüente crise no sistema penitenciário, onde mais de 135 pessoas foram mortas em rebeliões.

“Mato Grosso do Sul há tempos tem essa característica de ter facções. Mas tem sido feito um trabalho duro e quando chegam esses momentos de crise estamos preparados”, afirmou a governadora em exercício.

Além da apresentação de pontos a terem vigilância reforçada, os objetivos sul-mato-grossenses na capital federal também visam a verba de R$ 54 milhões prometida pelo ministro da Justiça Alexandre de Moraes ao Estado no fim do ano passado.

Segundo Rose, parte do dinheiro já foi repassada para ajudar no custeio da construção de três novos presídios. A governadora destaca que ainda estuda os locais, mas a avaliação inicial é de que serão um presídio de regime semi-aberto, um masculino e um feminino. Corumbá e Dourados, por enquanto, são os favoritos a receberem as prisões.

O restante do dinheiro, segundo Rose, deverá ser usado pelo secretário de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, que se reúne nesta tarde com Moraes junto de outros responsáveis de outros estados, para custear despesas com presos ligados ao tráfico de drogas. A governadora destaca que a maioria dos 16 mil presos do estado, cerca de 7 mil, são por essa prática criminal.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE