Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
30 de Maio de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Escola Estadual JGP oferece Ensino Médio de tempo integral em Corumbá

Caline Galvão em 11 de Janeiro de 2017

Campo Grande, Corumbá, Dourados, Maracaju e Naviraí possuem escolas estaduais que a partir deste ano passam a oferecer ensino de tempo integral para estudantes do Ensino Médio. Em todo o Estado são 12 escolas beneficiadas e que estão sendo preparadas para essa nova forma de ensino. No município pantaneiro, a instituição que está oferecendo a modalidade é a Escola Estadual Júlia Gonçalves Passarinho (JGP). A escola, que trabalhava com mais de mil alunos, passará a atender cerca de 400 estudantes e vai ter seu horário de funcionamento modificado. As aulas terão início às 07h30 e serão concluídas às 17h, não havendo mais período noturno.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

A estrutura da Escola Júlia Gonçalves Passarinho será melhorada e ampliada para atender às necessidades da nova modalidade de ensino

Maria Cecília Amendola da Motta, secretária de Estado de Educação, em entrevista realizada pela subsecretaria de comunicação de Mato Grosso do Sul, afirmou que a nova metodologia de ensino incentivada pelo Governo Federal já deu certo em outras partes do Brasil. “Metodologia diferenciada, o jovem participando de tudo, com professor de tempo integral dentro da escola, ele não tem que estar dividindo sua carga horária em vários lugares, ele fica só naquela escola, a escola só funciona de dia, não funciona mais à noite, é todo mundo voltado para esse tipo de educação nas escolas”, disse a secretária. A expectativa é que as doze escolas tenham capacidade de atender a 4.447 estudantes nas cidades beneficiadas.

Fernando Silva da Cruz, diretor-adjunto da Escola Estadual Júlia Gonçalves Passarinho (JGP), acredita que essa mudança será muito benéfica para os estudantes. “Esse modelo de escola em tempo integral, chamada de escola da autoria, é um modelo que foi copiado de uma escola chamada Ginásio Pernambucano, em Recife. Ela foi de muito sucesso e começou com um ex-aluno que por ter criado laço afetivo com a escola e ter percebido que já não funcionava mais, resolveu procurar o Governo e revitalizar a escola. Ele conseguiu parcerias, desenvolveu diretrizes pedagógicas e mexeu na estrutura física. A partir dessa experiência é que esse modelo de escola integral foi pensado. O modelo é importante porque o aluno vai ter carga horária maior nas disciplinas da base comum, vai passar por todos os conteúdos do currículo e a escola tem filosofia de trabalho voltada para o desenvolvimento humano e social do aluno”, afirmou Fernando ao Diário Corumbaense.

Ele lembrou que o maior objetivo do Ensino Médio é finalizar a preparação do aluno para a vida e para o mercado de trabalho. Essa nova forma de ensino vai proporcionar esse objetivo de maneira melhor, de acordo com Fernando da Cruz.

Escola de tempo integral deve proporcionar educação com mais qualidade e formação para a vida, conforme direção do JGP

As disciplinas da base comum como Língua Portuguesa, Matemática, Física e Química serão mantidas, mas com maior carga-horária. Já na base diversificada, haverá disciplinas como “Projetando o Futuro” para o primeiro e segundo anos, quando os alunos vão poder realizar estudos diversos e ter oportunidade para o debate de temas variados. No terceiro ano, a disciplina será chamada de “Pós-Médio” que vai oportunizar aos alunos a reflexão do que fazer depois de concluir os estudos escolares, a fim de definir seu futuro na sociedade. Outra disciplina é o estudo dirigido que serve como reforço das disciplinas da base comum. Haverá também disciplinas dedicadas às práticas laboratoriais, voltadas para as Ciências da Natureza, além das disciplinas eletivas, sendo uma delas escolhida pelo estudante.

A previsão é que as aulas iniciem no dia 13 de fevereiro. Toda a equipe da escola integral, professores, coordenadores e gestores vão passar por formação de uma semana em Campo Grande juntamente com outros profissionais de escolas do Estado contempladas com o ensino integral.

Com relação à estrutura da instituição, haverá ampliação e melhorias no JGP. Engenheiros do Estado já fizeram avaliação e informaram à direção da escola que as obras poderão começar a partir do dia 15 de janeiro. De acordo com o diretor-adjunto Fernando da Cruz, a educação não será prejudicada, visto que haverá estrutura para oferecer refeições e lazer a tempo do início das aulas. Ao longo dos meses, toda a reforma estará completa para atender às necessidades do ensino. Os estudantes terão direito a café da manhã, lanche e almoço.

A Escola Júlia Gonçalves Passarinho continua com matrículas abertas até dia 20 de janeiro. Já há 09 turmas fechadas e a instituição pode oferecer até 12 turmas para o Ensino Médio de tempo integral.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE