Menu

Geral + Seções

Fale Conosco
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Corumbá registra mais de 12,9 mil raios no começo do ano

Marcelo Fernandes em 09 de Janeiro de 2017

Dos mais de 91 mil raios que atingiram Mato Grosso do Sul nos cinco primeiros dias do ano, mais de 14% deles foram detectados em Corumbá. É o que revela o site Raios Online do Grupo STORM-T/IAG da Universidade de São Paulo (USP). De 1º a 05 de janeiro de 2017, Corumbá contabilizou 12.904 descargas atmosféricas; o que representou 14,158% da incidência total do Estado, que somou 91.141 registros de raios.

Nos primeiros cinco dias de 2017, a incidência de raios foi maior na quinta-feira, 05 de janeiro, quando o sistema da USP registrou 9.713 raios na maior cidade do Pantanal sul-mato-grossense.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Até agora, maior incidência foi na quinta-feira passada com 9.713 raios

A menor incidência foi no primeiro dia do ano, com 29 descargas atmosféricas. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o registro de raios foi menor agora. Em 2016 – de 1º a 05 de janeiro – o Raios Online detectou 36.275 descargas atmosféricas em Corumbá e 56.001 em Mato Grosso do Sul. Corumbá tem área de 64.962,854 quilômetros quadrados.

De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT), a chance de uma pessoa ser atingida diretamente por um raio é muito baixa, sendo em média menor do que 1 para 1 milhão. Contudo, se a pessoa estiver numa área descampada embaixo de uma tempestade forte, esta chance pode aumentar em até 1 para mil. Entretanto, não é a incidência direta do raio a maior causadora de mortes e ferimentos. Geralmente são os efeitos indiretos associados a incidências próximas ou efeitos secundários dos raios que trazem risco. As descargas também provocam incêndios e queda de linhas de energia.

Se uma pessoa for atingida, a corrente do raio pode causar queimaduras e outros danos a diversas partes do corpo. A maioria das mortes de pessoas atingidas por raio é causada por parada cardíaca e respiratória. Grande parte dos sobreviventes sofre por um longo tempo de sérias sequelas psicológicas e orgânicas.

Um raio pode cair duas vezes em um mesmo lugar. Geralmente os raios caem mais de uma vez em um mesmo local quando este apresenta grande incidência de raios. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
Assine o Diário

O Diário Corumbaense, o único jornal diário da região, oferece informação de qualidade e credibilidade aos seus leitores todos os dias.

Ligue: (67) 3232-4690 ou (67) 3232-4691 contato@diariocorumbaense.com.br

Assinar agora!
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE