Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
27 de Maio de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Mesmo entre os três maiores de MS, Corumbá tem queda de 4% nas exportações

Marcelo Fernandes em 04 de Janeiro de 2017

Corumbá figura entre os três principais municípios exportadores de Mato Grosso do Sul. É o que aponta a Carta de Conjuntura do Setor Externo, divulgada em dezembro do ano passado pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade). O estudo se refere ao período que vai de janeiro a novembro de 2016. O relatório mostra que nesses onze meses, a cidade teve participação de 4,87% nas exportações sul-mato-grossenses.

Mesmo com esse percentual de participação, houve queda de 19,64% no volume exportado em comparação ao ano anterior. Pelo estudo da Semade, dois fatores podem ter levados a essa redução. De janeiro a novembro de 2016, a Carta Conjuntura apontou que Corumbá exportou o equivalente a US$ 186.054. Nos mesmos onze meses de 2015, as exportações da maior cidade pantaneira do Mato Grosso do Sul somaram US$ 231.515.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

De janeiro a novembro de 2016, minério registrou queda de 36,40% na exportação em comparação ao mesmo período do ano anterior

Um deles está relacionado ao minério de ferro, que permanece em queda nas exportações seguindo a tendência verificada em 2015. De janeiro a novembro de 2016, registra queda de 36,40% comparado com o acumulado do mesmo período do ano anterior, embora em termos de volume exportado a queda tenha sido menor, de 17,78%. Em onze meses do ano passado, foram exportadas 3.259.457 toneladas de minério de ferro. Em 2015 – no mesmo recorte temporal – a exportação atingiu 3.964.297 toneladas.

O outro é o fato de o porto de Corumbá ter contabilizado queda de 24,63% em termos de valores exportados, embora em termos de volume esse valor tenha sido menor, cerca de 14,36% se comparado ao mesmo período no ano passado. 

Lideram as exportações de Mato Grosso do Sul, as cidades de Três Lagoas – com 25,15% dos valores exportados, com base na indústria de Papel e Celulose – e Campo Grande, que respondeu, no período, por 8,10% do que foi exportado pelo Estado. Chapadão do Sul foi o que teve maior queda nas exportações, 38,86%.

 Os dez principais municípios exportadores responderam por 57,21% das exportações de janeiro a novembro de 2016. Completam a relação o ranking de exportação os municípios de Maracaju; Dourados; Ponta Porã; Bataguassu; Caarapó e Naviraí.

Principais produtos e importação

Com relação aos principais produtos exportados, a soja em grão aparece como primeiro produto na pauta de exportações, com 28% do total exportado, em termos do valor, mas com queda de 17,48% em relação ao mesmo período no ano passado e, queda de 12,77% no que diz respeito a volume. O segundo produto é celulose, com 23% de participação, com queda em termos de valor de 3,32% em relação a janeiro a novembro de 2015. Mas, com crescimento de 6,45% comparado a janeiro a novembro de 2015.

Os dez principais destinos das exportações do Estado são: China; Itália; Países Baixos (Holanda); Argentina; Rússia; Hong Kong; Arábia Saudita; Tailândia; Chile e Japão.

No que tange aos produtos importados, o Estado continua com a pauta concentrada na importação de gás boliviano, representado 55% da pauta de importações de janeiro a setembro de 2016, bem abaixo dos valores verificados de janeiro novembro de 2015, 66%. 

O superávit na balança comercial do Estado com o exterior, de janeiro a novembro de 2016, chegou a de US$ 1.720 milhão, apontou a Carta de Conjuntura do Setor Externo, divulgada pela Semade.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE