Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
26 de Setembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Muita música, teatro e cinema no último dia do Festival América do Sul Pantanal

Caline Galvão em 14 de Novembro de 2016

Nesta segunda-feira (14) será encerrada a 13ª edição do Festival América do Sul Pantanal (FASP). Mas o público ainda pode contar com inúmeras atrações ao longo deste dia. As atividades culturais começam às 10h, com apresentação da orquestra de cordas de San José de Chiquitos, Bolívia. Será no Santuário Nossa Senhora Auxiliadora, situada na rua Dom Aquino.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Às 21h, sobe ao palco Integração a cantora Mariene de Castro, uma das novas revelações da música brasileira

Às 14h, haverá exibição dos curtas produzidos na oficina “Iniciação ao audiovisual com Iván Molina”, no Sesc Porto Geral. No mesmo local, às 15h, o documentário “O trem fantasma e a viola-de-cocho” será exibido. Às 15h40, também no Sesc Porto Geral, o público poderá conferir o documentário Cultura bovina em trânsito.

No Jardim da Independência, às 16h, haverá apresentação circense “Poropopó varieté coletivo circense” e, na mesma hora, na praça CEU, o teatro infantil Filhotes do Brasil apresenta o espetáculo “Buzum!”, encenado em um ônibus. Às 16h40, no Sesc Porto Geral, será exibido o filme “Lendas pantaneiras”.

No Porto Geral, às 17h, o Instituto Cordão de Ouro, grupo de capoeira, apresenta “Rasteiras e baianadas”. Às 17h30, Murilo Martinez se apresenta no palco Pôr do Sol, no Porto Geral. Às 18h30, Ju Souc, estará no mesmo palco. Já o grupo de dança boliviano Ballet Culturarte apresenta o espetáculo “Así es mi Bolivia” na praça Generoso Ponce.

Às 21h, sobe ao palco Integração a cantora Mariene de Castro, uma das novas revelações da música brasileira. Premiada cantora baiana, vai apresentar o show “Colheita”. Às 22h30, logo após a apresentação de Mariene, é a vez do grupo Sampri, composto por três irmãs que vão cantar samba.

Hoje também é o último dia de apreciação e análise das obras recentes do artista plástico corumbaense Edson Castro, filho de pai Guarani e mãe Guató, que sob influências de Wega Nery e Manoel de Barros tem se destacado em Paris com seu abstracionismo.

Esta segunda-feira (14) também é o último dia que Sebastião de Souza disponibiliza seu tempo para repassar técnicas para construção da
viola-de-cocho de maneira totalmente artesanal. Quem estiver interessado, pode comparecer ao Iphan, das 08h às 11h e das 13h30 às 16h30.

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE