Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Junho de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Corinthians vê coerência no STJD e não deve recorrer de interdição na Arena

Uol Esportes em 25 de Outubro de 2016

A decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em interditar o setor Norte da Arena Corinthians não deve gerar um recurso por parte do clube, segundo o advogado corintiano João Zanforlin, Além da interdição, a liminar do órgão, anunciada na noite de segunda-feira, veta ao Corinthians o direito de ingressos em jogos como visitante no Brasileirão. 

Ao UOL Esporte, Zanforlin explicou que o departamento jurídico do Corinthians ainda verifica possibilidades e, se encontrar, dará seguimento para tentar reverter a decisão. Entretanto, como se trata de uma liminar, não cabe ao clube recorrer. A tendência é aguardar pelo julgamento, ainda sem data definida. Com isso, é certo que Corinthians x Chapecoense, no sábado, será realizado sem a presença das torcidas organizadas no setor Norte. 

"Já foi concedida a medida e, para esse próximo jogo, não haverá condições do setor ser ocupado. Não cabe recurso e temos que esperar o julgamento da Comissão Disciplinar. Enquanto tem a liminar, não pode ficar ninguém. O julgamento pode até tomar outras medidas", explicou o advogado do Corinthians especializado em STJD. 

Na avaliação de João Zanforlin, a decisão não foi rigorosa. "Pelo que o tribunal tem agido ultimamente, e fez assim com Palmeiras, com Flamengo, com o próprio Corinthians no jogo contra o Palmeiras em que brigaram com a polícia, então não vi nada diferente", explicou. 

Prejuízo por jogo é de aproximadamente R$ 200 mil

De acordo com Lúcio Blanco, diretor de arrecadação da Arena Corinthians, a interdição do setor Norte representa uma perda de receitas na faixa de 12% do que o clube arrecada por partida. Como a média de renda por jogo é de R$ 1,6 milhão neste Brasileirão, o prejuízo médio é de R$ 193 mil. 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE