Menu
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Brasil bate recorde paraolímpico e conquista ouro no revezamento 4x100m

Uol Esportes em 13 de Setembro de 2016

Reuters/Ricardo Moraes

Brasileiros comemoram conquista do ouro no revezamento 4x100 na Paraolimpíada do Rio

Com direito a recorde paraolímpico, o Brasil conquistou o ouro no revezamento 4x100 m da classe T11-T13 (para deficientes visuais) ao dominar a final desta terça-feira nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro, no Engenhão.

Os atletas Diogo Jerônimo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Silva (com o guia Heitor Oliveira Sales) e Felipe Gomes (com o guia Jonas Silva) completaram a prova em 42s37 superando a China, que se atrapalhou na passagem do bastão e ficou com a prata com 43s05. O Uzbequistão acabou com o bronze (43s47).

Em entrevista ao "Sportv", Gustavo Araújo destacou o trabalho em equipe. "É o coração, cada um segurando o coração do outro. Um confiando no outro de corpo e alma", disse. Já Diogo Jerônimo Ualisson, que abriu o revezamento, disse que teve a certeza da vitória ao ouvir a torcida incentivando. "Quando eu ouvi o barulho da torcida, pensei: ninguém tira da gente".

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
Comentários:

Sergio Cunha.: O termo correto é paralímpico e não "paraolímpico."

Redação Diário: A palavra paraolímpico sempre foi a mais utilizada e socialmente aceita, sendo a mais correta em português. Contudo, o Comitê Paraolímpico Brasileiro, seguindo a recomendação do Comitê Paralímpico Internacional, alterou seu nome para Comitê Paralímpico Brasileiro, padronizando a nomenclatura paralímpico, utilizada em vários idiomas. A palavra paralímpico ainda não se encontra reconhecida no vocabulário ortográfico da Academia Brasileira de Letras. Agradecemos a colaboração.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE